Mobilização Nacional Indígena realiza o Acampamento Terra Livre 2017 e demanda “Demarcação Já!” e “Nenhum Direito A Menos”

A CASA DE VIDRO.COM

Brasília, 24 a 28 de Abril,
Acampamento Terra Livre

A seguir, palavras de  Helena Palmquist

“Os patrões e o estado, e a academia e a mídia que lhes servem, seguem nos acusando de sermos anacrônicos na reivindicação de direitos humanos, animais, florestais, ancestrais, básicos.

É anacrônico defender um rio, é ultrapassado lutar pela mata, não é racional brigar por territórios, chega desse negócio de índio, ribeirinho, quilombola, camponês, seringueiro, pescador, lavrador, colono, chega desses povos do mato, do rio e da terra, que atrapalham a nossa razão irrefutável.

Eles nos chamam de minorias com projetos ideológicos irreais.

Cantam e decantam, insuportavelmente afinados, em centenas de minutos de televisão pagos a peso de ouro, a cantilena de que qualquer legislação que nos proteja contra eles é ultrapassada, de que é preciso “modernizar”.

Eles falam da CLT, que é fruto de muita luta dos trabalhadores nossos avós; e da Previdência, que igualmente…

Ver o post original 1.720 mais palavras

O método da Lava Jato está destruindo o Brasil | Brasil 24/7

A corrupção deve ser investigada e denunciada, os corruptores e corruptos processados e condenados na forma da lei, mas o combate à corrupção não é a única pauta válida e necessária do país e não é apenas a corrupção empresarial que merece combate exemplar. Há outras espécies dela que merecem atenção e punição, pois o sistema liberal é corrupto e corruptor, suas estruturas e instituições também são

Fonte: O método da Lava Jato está destruindo o Brasil | Brasil 24/7

#GREVEGERAL – PÁRA TUDO. PÁRA O BRASIL. PÁRA E NÃO VOLTA MAIS. DIA 28/ABRIL, PÁRA TUDO.

Gustavo Horta

coxinha Traidores da Patria 520Você pode ficar quietinho e resignado.
Você pode me bloquear se estou enchendo a sua paciência.

VOCÊ PODE LUTAR E PODE, AO MENOS, MULTIPLICAR.

VOCÊ SÓ NÃO DEVERIA NÃO FAZER NADA!!!

#GREVEGERAL
PÁRA TUDO. PÁRA O BRASIL.
PÁRA E NÃO VOLTA MAIS.

DIA 28/ABRIL, PÁRA TUDO, PÁRA TODO MUNDO.

 

Ver o post original

Glimpse.

Ricardo Sexton

That day, these eyes mirrored
A train, coming out of a tunnel
…it passed, left me un-geared
Strolling by a desert’s channel

To be woken to a faded dream
Unspoken, unthinkable (lobby)
A mountain. A paused ‘stream’
A handwritten letter to nobody

Vainly scribbled in doubt Wall
Many long ‘notes’ without call
To a loud night, my silent roar
I found (stars) laying out-door

So restless, an exposed pore
Rejects! Another freeze thaw
Comes the day, more to ‘saw’
The blistering flakes the core

Its cause was never clarified
Hope is a Will. However died
Time could no longer theft it
“I wonder, ever since I left it”

Later, its ‘such’: I understood
Solitude wanted me for good
In that desert’s mirage to flee
Never, a boat tided to the sea

I don’t know the entire mean
I do! to relive, the train scene

Ver o post original

No hay ladrido sin perro.

Dolor de garganta

no hay ladrido

No hay ladrido sin perro.

Pero hay perros con bozales, enmudecidos por sus dueños.

No hay combinación de palabras que no sature.

Pero hay accidentes gramaticales y matices sintácticos que son colores que obnubilan y ciegan.

No hay tegumento que no se torne piel o escama con el tiempo.

Pero no hay órgano sin tegumento para sostenerlo.

No hay canción que no culmine en silencio.

Pero no hay final sin haber escuchado el último compás.

No hay amor que dure un segundo, que no haya besado con la mirada.

No hay amor que dure cien años, ni cuerpo que lo soporte.

No hay amor que no sea ladrido, lenguaje, membrana, canción, mirada, porque no hay amor por pequeño que sea que no haya atravesado siglos de humanidad ardiente.

Ver o post original

A história contada pela fala e pela música

Ecologia dos Saberes

Vânia Pierozan

Nesta segunda-feira presenciei a participação do Mestre Griô Paraqueda na disciplina Encontro de Saberes, que recebe sábios indígenas e afrodescendentes; ministrando aulas em parceria com professoras da UFRGS.

Importante demais a presença de mestres griôs, de guardiões da sabedoria indígena, de sábias mulheres e homens que são a memória viva da cultura brasileira, nas salas, da universidade. ..
18193807_1442507619105748_481782395200470624_nNo encontro Elaine da Mocambo – Associação Comunitária Amigos e Moradores do Bairro Cidade Baixa e Arredores. reconhecida como Patrimônio Cultural do Município em 2012. Juntamente com ela mulheres e homens que criam e vivenciam o carnaval de Porto Alegre, representantes de  entidades carnavalescas que falaram do carnaval sobre diversos aspectos, com foco na presença feminina. Sala cheia de alegria e cores. Que contribuição grandiosa tem essa troca para os processos educativos!
Mestre Paraqueda vivencia desde sempre o carnaval, cresceu nesta atmosfera. Tornou-se compositor, criou diversos sambas de enredo…

Ver o post original 150 mais palavras