A israelita Silvan Askayo fotografa varais ao redor do mundo

Vice Versa

Sivan Askayo-Intimacy-21_1024Sivan Askayo-Intimacy-6_1024

Silvan Askayo é uma fotógrafa israelita vivendo em Nova York pelos últimos dez anos. Especializada em fotografia de viagem, seu último projeto se chama “Intimacy Under the Wires“, um olhar intimista sobre um comportamento ancestral e  universal: estender as roupas pra secar no varal. Askayo diz ter começado a xeretar a vida de anônimos ainda no bairro em que nasceu e foi criada em Tel Aviv, de lá para cá esse projeto já passou por Madrid, Barcelona, Londres, Florença, Veneza, Buenos Aires e segue em andamento.

Ver o post original 26 mais palavras

Gazeta do Povo mostra que Hugo Chávez melhorou muito a Venezuela. A direita pira

Blog do Tarso

info_Chavez_070313

A Gazeta do Povo de quinta-feira mostrou que praticamente todos os números comprovam que o presidente falecido da Venezuela, Hugo Chávez, melhorou muito o país, na economia e no social. Os conservadores, direitistas, que odeiam pobres, odeiam esse tipo de notícia.

Ver o post original

Marco Feliciano usa mandato em benefício de suas empresas e igreja

Marco Feliciano utiliza a cota parlamentar em atividades ligadas às suas empresas e emprega pastores da congregação dele

 

Helena Mader

Publicação: 09/03/2013 06:09 Atualização:

 (Bruno Peres/CB/D.A Press - 7/3/13)  

O deputado e pastor Marco Feliciano (PSC-SP), que esta semana assumiu a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias (CDHM) em meio a uma saraivada de críticas, usou o mandato parlamentar em benefício de suas empresas e das atividades de sua igreja. Além de destinar verbas públicas para seus negócios particulares, ele paga salário a um funcionário fantasma, que na verdade trabalha em um escritório de advocacia de Guarulhos. Essa firma recebeu R$ 35 mil da cota parlamentar do deputado desde que ele tomou posse. Feliciano também repassou recursos públicos ao escritório de outro advogado, que o defendeu em um processo eleitoral às vésperas do pleito. O gabinete 254, no Anexo 4 da Câmara, é quase uma filial da Assembleia de Deus Catedral do Avivamento: o presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias emprega cinco pastores da congregação que ele preside, e ainda cantores de música gospel que trabalharam na gravação de seu CD. Além de deputado, pastor e empresário, Feliciano também é músico.

Personalidade de sucesso no mundo gospel, e requisitado para palestras e pregações em todo o país, o parlamentar é dono de dois negócios: a Marco Feliciano Empreendimentos Culturais e Eventos Ltda. e a Tempo de Avivamento Empreendimentos Ltda. Em 2008, a primeira empresa foi contratada pela Nettus Criação de Eventos, uma firma gaúcha, para que o pastor se apresentasse em São Gabriel, no Rio Grande do Sul. Ele seria a grande estrela da festa, que reuniu ainda cantores e outros pastores evangélicos. A empresa contratante repassou o dinheiro a Feliciano, mas ele não compareceu. Os representantes da Nettus recorreram à Justiça e o processo se arrasta até hoje na 2ª Vara Cível da Comarca de São Gabriel. Os donos da empresa lesada pedem R$ 950 mil de indenização.

Uma casa que se equilibra há 45 anos sobre rocha na Sérvia

REPÚBLICA BANANA PEOPLE

  • Conceito da construção surgiu quando um grupo de jovens começou a planejar um lugar para descansar

 Os materiais e os suprimentos usados na construção da casa foram transportados de barco e caiaque, e as peças maiores foram simplesmente colocadas na água e capturadas quando flutuavam às margens do local de construção da edificação Foto: Reprodução internet

Os materiais e os suprimentos usados na construção da casa foram transportados de barco e caiaque, e as peças maiores foram simplesmente colocadas na água e capturadas quando flutuavam às margens do local de construção da edificação Reprodução internet. Há 45 anos, essa pequena casa resiste bravamente aos ventos sérvios e à força das águas que a rodeiam. Equilibrando-se sobre uma rocha no meio do Rio Drina, a estrutura fica próxima à cidade de Bajina Basta, na Sérvia, e tornou-se uma das principais atrações turísticas da região.

O conceito da casa surgiu em 1968, quando um grupo de jovens nadadores começou a planejar um lugar para descansar. Eles se deitavam na rocha existente no meio do rio, mas, com o passar do tempo, eles viram que precisavam de um lugar mais confortável e começaram…

Ver o post original 103 mais palavras

BARBOSA QUER A CABEÇA DE REPÓRTER DO ESTADÃO

9 DE MARÇO DE 2013 ÀS 14:05

 

247 – A crise entre o Supremo Tribunal Federal e o jornal Estado de S. Paulo ainda não foi superada. Longe disso. Na semana passada, um gesto do presidente do STF, Joaquim Barbosa, tornou a situação ainda mais delicada. Por meio de assessores, o ministro fez chegar à direção do jornal da família Mesquita a mensagem de que a publicação não tem mais interlocutores na suprema corte. Esse movimento foi interpretado como um pedido para que o jornal entregasse a cabeça do jornalista Felipe Recondo, que cobre o Poder Judiciário para o Estadão e que foi acusado por Barbosa de “chafurdar no lixo”, além de ser chamado de “palhaço”. Recondo produzia uma reportagem sobre gastos do STF com reformas de apartamentos e de gabinetes, além das despesas com viagens dos ministros ao exterior – daí a expressão “chafurdar no lixo”.

A mensagem do STF ao Estadão repercutiu muito mal internamente. Lembrou tempos autoritários, em que autoridades pediam a cabeça de jornalistas aos chefes de redações. No caso do Estado, não é a primeira vez que Barbosa tenta isolar um profissional de imprensa. Antes do caso Felipe Recondo, ele colocou na geladeira a repórter Mariângela Galucci, desde que, em 2010, ela publicou uma reportagem – verdadeira, diga-se de passagem – mostrando que o ministro ia a bares, enquanto sua licença para tratamento de dores nas costas, que durou quase um ano inteiro, paralisou diversos processos (leia mais aqui). No STF, Barbosa chegou a interromper entrevistas ou conversas em off com jornalistas, sempre que Mariângela, casada com o colunista Fernando Rodrigues, da Folha, se aproximava.

Depois do julgamento do mensalão, Barbosa anda mais irritadiço do que de costume e suspeita que todos os seus passos estejam sendo monitorados de perto. Recentemente, ele passou férias em Miami, nos Estados Unidos. Como há muitos brasileiros vivendo e passando férias na cidade, ele foi abordado e distribuiu autógrafos, como costuma fazer também no Brasil. Depois disso, fotos suas foram postadas na internet e circularam rumores de que ele teria comprado um imóvel de alto padrão na Flórida. A reportagem ainda não publicada de Recondo, sobre as mordomias no STF, também passou a ser motivo de preocupação.Imagem