Standard&Poor’s coleciona erros históricos em suas avaliações

Standard&Poor’s coleciona erros históricos em suas avaliações

Jornal do Brasil+AAImprimir

Em meio a polêmicas sobre o andamento da economia brasileira, a notícia da expectativa de redução por parte da agência de classificação de risco Standard&Poor’s bota mais lenha na fogueira. Vale destacar que a informação foi anunciada um dia antes da divulgação da inflação oficial, que apresentou nesta sexta-feira (7) desaceleração para 0,37%. Ainda nesta semana, a produção industrial apresentou crescimento de 1,8%, no segundo resultado positivo consecutivo. 

Voltando as atenções para um passado recente, não é difícil detectar desalinhos entre os índices divulgados pela agência de risco e os números concretos da economia no mundo.

Agência enfrenta processo de fraude por parte do governo dos EUA
Agência enfrenta processo de fraude por parte do governo dos EUA

O mais clássico deles aconteceu em 2008, nos Estados Unidos, quando a grande crise econômica mundial explodiu. A Standar&Poor’s, alinhada com outras agências, indicava que os títulos da dívida do banco Lehman Brothers eram negociados com um ‘rating’ de “A+” até 180 dias antes da sua falência. Um gigantesco erro de avaliação que veio à tona em setembro de 2008, quando a instituição americana fechou com prejuízos de 485 mil milhões de euros, detonando a mais grave crise econômica dos tempos modernos.

O Departamento de Justiça norte-americano deu início, este ano, a um processo de fraude contra a Standard & Poor’s, por considerar que a agência de rating ignorou as fragilidades dos investimentos em produtos financeiros hipotecários durante o período que antecedeu a crise econômica de 2008.

Como se não bastasse, em 2011, quando a S&P rebaixou de AAA para AA+ a nota da dívida americana, mais uma vez vieram à tona erros de avaliação. O governo dos Estados Unidos emitiu nota afirmando que a agência havia cometido um erro em seus cálculos na singela casa dos US$ 2 trilhões.

Também em 2011, um erro fez com que o site da S&P divulgasse um comunicado rebaixando a nota da França. As autoridades de mercados financeiros do país e da Europa iniciaram uma investigação e a agência retirou a informação do ar, alegando ter sido um equívoco. O “incidente” foi definido como “grave” pela União Europeia. 

 

Tags: agência, avaliação, brasil, economia, risco

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.