Hospital de Carangola esclarece sobre atuação de falso médico

Resumo da Notícia

hec

O Hospital Evangélico De Carangola vem através desta esclarecer sobre o fato da prisão de médico falso, prestando atendimento no PAM.

Esclarecemos que, quanto aos médicos falsos que foram presos e prestaram atendimentos no PAM, os mesmos não tinham vinculo empregatício com o hospital, que antes de prestarem serviço no PAM os referidos médicos já trabalhavam em hospitais da redondeza e que eles apresentaram “documentação” falsa constando numero de CRM de médicos verdadeiros os quais eram confirmados pelo portal do CRM-MG, portanto não havia como desconfiarmos da ilegalidade.

Esclarecemos ainda que o Hospital em momento algum compartilhou com tal farsa e também nos colocamos a disposição da Policia Civil para quaisquer esclarecimentos que se fizerem necessários na apuração dos fatos.

Atenciosamente,

HOSPITAL EVANGÉLICO DE CARANGOLA

 

Fonte: www.jornalosemanal.com.br

Ver o post original

 CNN

Triste fim do Prevaricador

Esquerdo (noreply@blogger.com)

Domingo, Agosto 04, 2013, 10:40 am

BLOGS DE POLÍTICA

Fora da PGR, Gurgel pode passar de caçador a caça 

Brasil 247 – Faltam 12 dias para a saída de Roberto Gurgel da Procuradoria-Geral da República. Até lá, ele ainda terá o poder de investigar, mas pode ser que, depois disso, passe a ser investigado. De acordo com nota publicada pela jornalista Vera Magalhães, no Painel da Folha, o subprocurador Manoel Pestana entrou com representação contra Gurgel em razão de sua prevaricação na Operação Monte Carlo, contra o senador Demóstenes Torres, que foi engavetada por dois anos. Detalhe: o próprio Demóstenes, que também é egresso do Ministério Público, apontou a prevaricação.
 
Abaixo, as notas do Painel:
 
Fogo… O procurador-regional da República Manoel Pastana entrou com representação em 22 de julho no Conselho Nacional do Ministério Público contra integrantes da cúpula do MPF: Roberto Gurgel, a subprocuradora Claudia Sampaio e o corregedor-geral, Eugênio Aragão.
 
… interno No documento, encaminhado também a Dilma Rousseff, Joaquim Barbosa e Renan Calheiros, Pastana aponta “graves ocorrências” contra o trio e cita a Operação Monte Carlo, da PF. “Há fortíssimos indícios de que o PGR faltou com a verdade ao afirmar que reteve o mencionado inquérito por razões de estratégia”, diz.

 

 Altamiro Borges – RSS

O protesto contra a terceirização

Noreply@blogger.com (miro)

Domingo, Agosto 04, 2013, 10:43 am

BLOGS DE POLÍTICA

Por Altamiro Borges

 
Na próxima terça-feira, dia 6, as ruas do país voltam a ser ocupadas. Desta vez, com uma pauta bem definida que desagrada os patrões e a sua mídia. Como de costume, o protesto terá pouco ou nenhum destaque na imprensa patronal. O ato nacional e unitário é organizada pelas centrais sindicais e tem como alvo o projeto de lei (PL) 4330, que regulamenta a terceirização. Estão previstas concentrações em frente às sedes das principais entidades empresariais contra a medida que agrava ainda mais a precarização do trabalho.
 

Reunidos na semana passada, os dirigentes das centrais sindicais concluíram que a discussão sobre o PL-4330 não avançou no Congresso Nacional e no Palácio do Planalto. “Para as entidades, há retrocesso nas propostas do governo e empresários sobre os seis pontos considerados prioritários pelos trabalhadores: o conceito de atividade especializada; os limites à terceirização; o entrave para a quarteirização; o significado dado à responsabilidade solidária (aquela em que a empresa contratante é responsável por quitar dívidas trabalhistas deixadas pela terceirizada); o caso dos correspondentes bancários; e a organização e representação sindical”, relata o jornal Brasil de Fato.

Como as negociações emperraram, o regressivo texto de autoria do empresário e deputado federal Sandro Mabel (PMDB-GO), que já recebeu aval do relator na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania da Câmara (CCJC), poderá ser votado até 13 de agosto. Os protestos da próxima terça-feira visam exatamente frear esta possibilidade. Uma nova rodada de negociação entre governo, empresários, parlamentares e centrais sindicais deve acontecer na manhã desta segunda-feira. Mas não há sinais de recuo das entidades patronais e da sua bancada no parlamento.

 
Para Maria das Graças Costa, secretária de relações do trabalho da CUT, é urgente intensificar a pressão da sociedade contra este nocivo projeto. “Estamos apostando com muita ênfase no diálogo com a população e com a própria classe trabalhadora. Quem perde com a terceirização não é só o terceirizado, que sem uma regulamentação é discriminado e tem seus direitos negados, mas também o povo, que muitas vezes recebe serviço de má qualidade porque faltam instrumentos de trabalho e condições dignas a esses trabalhadores. Se o PL não mudar, vamos parar o Brasil”, garantiu.

Segundo o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (Dieese), o trabalhador terceirizado fica 2,6 anos a menos no emprego, tem uma jornada de três horas a mais semanalmente e ganha 27% a menos. A cada 10 acidentes de trabalho, oito acontecem entre terceirizados. Estima-se que o Brasil tenha 10 milhões de terceirizados, o equivalente a 31% dos 33,9 milhões de trabalhadores com carteira assinada no país.