Lorde Merval diz para Marina calar a boca…

Lorde Merval diz para Marina calar a boca…

14 de Aug de 2013 | 09:39

Como Merval Pereira é da Academia Brasileira de Letras, um erudito, vai aqui uma pequena explicação.

Erudição tem origem no verbo latino erudio que, por sua vez, se compõe de “e” (fora) e de “rudis” (aspereza, rudeza).

Portanto, não fica bem a um erudito, como Merval certamente o é, com sua vasta produção literária, expressar-se da forma mais que rude com que o fez, hoje, em sua coluna.

Analisando as candidaturas presidenciais, com a imparcialidade que lhe é costumeira, milorde sai-se com esta delicadeza:

“O problema de Marina será quando ela tiver que abrir a boca para dar suas receitas de boa gestão pública. Pode ser que aí comece a perder eleitores.”

Que é isso, Alteza?

Estaríeis descendo ao pântano e chamando-a de burra, incapaz, primária, quase um personagem folclórico?

Teríeis, acaso, começado a seguir a linha dos desaforos no foro do Dr. Joaquim?

Verdade que vossa Academicência vinha moderado, sobretudo quando se tratava de José Serra, o homem que faz acontecer:

“Falando muito, e negociando bastante, o ex-governador José Serra tenta manter-se na disputa, avaliando que as mutações do cenário eleitoral podem levar um dia, quem sabe, a que a maioria do eleitorado se decida por escolher “quem sabe fazer acontecer”. Neste momento, ele se considera o homem certo e pretende estar no lugar certo. Precisa decidir primeiro se esse lugar é o PSDB ou se pode ser outra sigla que o acolha e ao seu projeto de disputar pela terceira vez a Presidência. “

Permitais a este humilérrimo plebeu, agora que ilumiais a  magistratura, interpretando as mais elevadas questões jurídicas com a ponderação que revelou na análise política, acorrer-vos com uma singela cìtara jurídica.

Dat veniam corvis, vexat censura columbas

Livremente traduzido seria algo como “Seja respeitosamente indulgente com os corvos, enquanto envergonha as pombas com suas críticas”.

É do segundo livro das Sátiras, do poeta romano Juvenal, do primeiro século.

A propósito, este segundo livro chama-se: os hipócritas.

Por: Fernando Brito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.