Fux recebe da UERJ sem trabalhar

Fux recebe da UERJ sem trabalhar

Enviado por  on 15/08/2013 – 1:44 pm2 comentários

Há algumas semanas, publiquei matéria aqui no blog dizendo que Joaquim Barbosa continua ativo na UERJ, e questionava se ele recebia sem trabalhar. Minha fonte havia calculado que, se assim fosse, ele já poderia ter recebido R$ 700 mil da UERJ, calculando salários, décimo terceiro, desde que ingressara no STF.

Eu cometi um erro estratégico. Como minha fonte me disse que me entregaria os contracheques em seguida, eu me adiantei e publiquei a matéria usando os documentos que indicavam que Joaquim Barbosa estava ativo. Só que a UERJ imediatamente se fechou em copas e removeu o nome de Joaquim Barbosa do sistema aberto de remuneração do governo do estado (o qual eu não conhecia na época). E fiquei sem essa prova essencial. Imediatamente eu retirei o valor de R$ 700 mil do post e deixei apenas a informação de que ele permanecia ativo, por “ordem expressa” do reitor. É um indício forte que ele continua recebendo salários ou acumulando aposentadoria.

Esta semana, mais de um mês depois, Pedro Doria publica uma coluna intitulada “Mentiras sociais”, em que tenta desqualificar o trabalho das redes sociais, naturalmente puxando sardinha para o trabalho que eles, a grande mídia, fazem.

Ele cita a nossa matéria com a arrogância de sempre, sem mencionar a fonte. Claro, se citasse a fonte, seus leitores poderiam vir aqui e ler sobre a sonegação da Globo, por exemplo, dentre outros erros e mentiras muito mais escabrosos que aqueles que, segundo Doria, circulam nas redes sociais. Mais escabrosos inclusive porque os erros das redes sociais em geral são toscos (tipo dizer que a mansão da Esalq pertence ao Lulinha, etc); as mentiras da grande mídia são extremamente bem elaboradas. Vide a Ação Penal 470, uma grande mentira repetida por muitos anos, e que hoje se tornou uma espécie de dogma inquestionável.

Trecho do Doria onde ele cita O Cafezinho:

Outra envolve o presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa. Ele teria recebido uma imensa quantia de dinheiro como professor da Uerj, embora há muito licenciado para presidir o STF. Em algumas versões, a história vem até com documentos anexos. É mentira.

Desculpe, Doria, mas eu preciso mais do que a sua opinião para saber se Barbosa tem recebido ou não salários da UERJ sem trabalhar. Documentos são benvindos. Sou um blogueiro solitário que provavelmente comete muitos erros, mas tento me aprimorar dia a dia. Os documentos da UERJ que publiquei são verdadeiros. Joaquim Barbosa, ainda ativo na UERJ, possivelmente está recebendo salários ou acumulando indevidamente pontos de aposentadoria. Não sou juiz ou policial. Apenas dei a informação. Se isto (o acúmulo de função e salário) é errado, especialistas mais gabaritados poderão opinar. O que eu sei é que o Regime Jurídico Único, o RGU, que rege o funcionalismo público, só permite a ausência do servidor por dois anos, no máximo.

Bem, seja como for, acabo de obter uma informação que ajuda a confirmar a denúncia sobre Joaquim Barbosa e a UERJ. Não foi difícil, confesso. Recebi um email de um leitor indicando-me um link do próprio governo do estado. E o que vi? Que o colega de Joaquim Barbosa, o ministro Luiz Fux, está “ativo” na UERJ e continua recebendo salários. Em julho, recebeu da UERJ um total de R$ 6.337,51. Em junho, recebeu R$ 9.351,14.

O leitor mesmo pode consultar o link: http://www.consultaremuneracao.rj.gov.br/

Digite FUX, e bingo.

Eu já conferi o CPF para ver se tratava do mesmo. É.

Também publico aí um documento mostrando que Fux é professor titular da UERJ desde 1995. Em outubro de 2001, foi nomeado ministro do Supremo Tribunal de Justiça. A vaga de ministro do STF é ocupada a partir de 2011. Será que ele recebe salários da UERJ desde 2001? Desta vez, não vou calcular o acumulado dos salários recebidos por Fux desde 2001. Fica a cargo do leitor. Capaz de dar mais de R$ 1 milhão…

Se Luiz Fux recebe salários da UERJ mesmo sem trabalhar, e ganhando um salário líquido de R$ 27 mil no STF, então o mesmo pode estar acontecendo, ou ter acontecido, com Joaquim Barbosa, cujo status na UERJ também é “ativo”, não?

A informação, reitero, está no site de pagamentos do governo do estado. Seria ainda mais grave se o governo estivesse lançando um salário no sistema e o servidor não o estivesse recebendo, porque aí seria caso de desvio de dinheiro público.

 

– See more at: http://www.ocafezinho.com/2013/08/15/fux-recebe-r-6-milmes-da-uerj-sem-trabalhar/#sthash.G6pjgC4R.dpuf

“Botando ordem na casa” : Para Barroso, mensalão ‘não foi o maior da história, mas o mais investigado’

Luíz Müller Blog

luis-roberto-barroso-empossado-ministro5O ministro Luis Roberto Barroso afirmou nesta quarta-feira (14) que o caso do mensalão não foi o maior escândalo político da história, mas o mais investigado.

Barroso é o mais novo ministro do STF (Supremo Tribunal Federal ), indicado pela presidente Dilma Rousseff em maio.

O ministro disse que “é no mínimo questionável a afirmação de se tratar do maior escândalo político da história do país”. “Talvez se possa afirmar sem margem de erro é que foi o mais investigado de todos, seja pelo Ministério Público, pela Política Federal ou pela imprensa”, afirmou.

Para o ministro, o mensalão não foi um evento isolado na vida nacional, quer do ponto de vista quantitativo, quer do ponto de vista qualitativo. “Justamente ao contrário, ele se insere em uma tradição lamentável que vem de longe”.

“Não existe corrupção do PT, do PSDB ou do PMDB. Existe corrupção, não há corrupção melhor ou pior…

Ver o post original 197 mais palavras