Trabalhadores se organizam em redes sindicais para enfrentar o poder das corporações e empresas transnacionais

Milton Alves

Categorias como metalúrgicos, construção civil, têxteis, químicos, alimentação se organizam em redes sindicais instaladas  em diversas partes do mundo. É o fenômeno da globalização da ação sindical

Divulgação

A globalização da economia levou os trabalhadores de grandes empresas a se organizarem em redes sindicais com a participação de entidades instaladas em várias partes do mundo.

Os metalúrgicos, químicos, têxteis e empregados na área de vestuário se organizam na IndustriAll Global Union; os telefônicos e os comerciários na UNI América, os trabalhadores da alimentação na Uita e os da construção civil e pesada, por exemplo.

Para formar uma rede sindical é vital a participação do sindicato de trabalhadores onde a empresa estiver sediada. Este sindicato deverá buscar permanentemente contato com os demais sindicatos em que hajam plantas dessa empresa e que podem estar situadas em qualquer lugar do mundo.A rede tem o poder de deliberação, mas o de executar é do…

Ver o post original 865 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.