A psicologia do anticomunista pós-tudo

Luíz Müller Blog

cotasPor Juremir Machado no Correio do Povo
O mundo hipermoderno é complexo.

Cada um precisa encontrar um lugar ao sol, mas não há sol para todos.

O sol foi privatizado.

Disso decorre uma corrida em direção à luz.

Essa corrida tem consequências. O melhor e o pior de cada um disputam espaço.

Ninguém está a salvo.

A salvo de quê?

De algo tão anacrônico quanto o suspensório: o anticomunista.

Há mais anticomunistas, no momento, do que comunistas ao longo dos séculos.

O verdadeiro comunista é tão raro e de gosto tão duvidoso quanto o caviar.

Tem maluco anticomunista ferrenho sobrevoando o céu nebuloso das ideologias.

Tem o anticomunista saído do ventre da baleia como último avatar do fake chacal.

Tem o aposentado à espreita para uma estocada contra um político qualquer:

– Ele não é decente. Foi visto nas ilhas gregas com os anões do orçamento.

– Mesmo?

– Comprou…

Ver o post original 244 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.