Empreiteiras da Lava-Jato atuaram no cartel do Metrô de SP | Blog da Cidadania

Empreiteiras citadas na operação Lava Jato são conhecidas como “As quatro irmãs”. São elas Odebrecht, OAS, Camargo Corrêa e Andrade Gutierrez, e até as motoniveladoras dessas empresas sabem que elas prestam serviços a governos de todos os partidos, inclusive aos do mesmo PSDB que, agora, aparece “surpreso e indignado” com a “revelação” de que empreiteiras patrocinam corrupção no país. A Odebrecht, por exemplo, foi alvo de denúncia do Ministério Público por suspeita de formação de cartel em São Paulo para a construção da Linha 5 do Metrô.

Source: www.blogdacidadania.com.br

See on Scoop.itBOCA NO TROMBONE!

Cartel das empreiteiras funciona ao menos desde os anos 1990, segundo delatores

As nove principais empreiteiras investigadas na operação Lava Jato formaram um “clube” para desviar recursos de obras públicas, segundo depoimentos dos delatores do esquema. Na Petrobras, o cartel fraudou licitações e superfaturou contratos em pelo menos nove grandes empreendimentos, mediante o pagamento de suborno a dirigentes. O ex-diretor de Serviços Renato Duque, preso nesta sexta-feira (14), recebeu propinas de até R$ 60 milhões, conforme relataram os executivos da Toyo Setal Júlio Camargo

Source: www.diariodocentrodomundo.com.br

See on Scoop.itBOCA NO TROMBONE!

These 16 Fluffy Animals Will Make You Say Awww

Man's best friends

h/t: Bored Panda

Animals can be beautiful or adorable no matter whether their color, size, species or length of hair. But, as far as furry mammals go, the fuzziest of them definitely have an edge when it comes to cuteness. 

Teacup Pomeranian

cute-fluffy-animals-20

Image credits: unknown

Ver o post original 100 mais palavras

Um sistema que protege corruptos e corruptores

bloglimpinhoecheiroso

Corruptor01Claudio Weber Abramo

Na hipótese de os executivos das diversas empresas envolvidas no caso da Petrobras serem de fato processados e, nesses processos, serem condenados, as empresas não serão punidas.

À época em que os fatos aconteceram, não existia na legislação brasileira previsão de punição de pessoas jurídicas por atos de corrupção praticados por seus representantes.

Tomando-se um caso hipotético, mesmo que toda a direção de uma empresa tivesse participado ativamente do planejamento e operação de um propinoduto cujo objetivo não poderia ser outro senão beneficiar os negócios dessa empresa (ou seja, seus controladores e acionistas), apenas as pessoas físicas eram puníveis. A empresa passava em branco.

Essa situação jurídica só mudou com a sanção, em 2013, da Lei 12.846, em vigor desde o início de 2014. Como essa lei é posterior aos fatos levantados na Operação Lava-Jato, não poderá ser aplicada para punir as pessoas jurídicas envolvidas.

No caso…

Ver o post original 197 mais palavras

Recordar é viver: Francischini escondeu um dos suspeitos da Lava-Jato

bloglimpinhoecheiroso

Fernando Francischini e Luiz Argolo. Fernando Francischini e Luiz Argolo.

Via Jornal GGN, em 28/5/2014

Considerado um dos canais de vazamento da Operação Lava-Jato da Polícia Federal – que investiga a atuação do doleiro Alberto Youssef –, o ex-delegado e deputado federal Fernando Francischini, do partido Solidariedade (ex-PSDB), deixou de divulgar um dos nomes que surgiram nos grampos da polícia: ele próprio.

Seu nome foi diretamente envolvido nas negociações entre Youssef e o deputado Luiz Argolo, também do Solidariedade.

Lá pelas tantas, Argolo diz a Youssef que está fechando um acordo “que acho que vai dar certo”. “Francischini fica na liderança fazendo o papel combinado com a gente e eu farei como primeiro vice-líder o encaminhamento em prol do governo e do Palácio. Já falou comigo.”

A conversa se refere a um suposto acordo entre Argolo e a empreiteira OAS, representada pelo diretor Mateus Coutinho. Por ele, Argolo prestaria apoio ao Palácio e…

Ver o post original 138 mais palavras