Racha na Globo: Noblat rechaça golpe de Merval

“Goste-se ou não, Dilma foi legitimamente reeleita. Derrotou Aécio Neves por uma diferença superior a três milhões de votos. O próprio Aécio telefonou para ela parabenizando-a. Não se pode impedir ninguém de pregar o impeachment. Nem mesmo de pregar um golpe militar. O extraordinário da democracia é que ela garante a liberdade até mesmo dos que se opõem a ela. Mas quem tenha o mínimo de responsabilidade política e social não pode ouvir calado os que incitam ao ódio e à quebra da legalidade”, dis

Source: www.brasil247.com

See on Scoop.itBOCA NO TROMBONE!

Yellowstone National Park

nomadruss in words and photos

I had a couple of days in Yellowstone National Park during my summer road trip. I spent most of my time around the Norris Geyser Basin. The place was quite photogenic.

Mammoth Hot Springs

Norris Geyser Basin

Norris Geyser Basin

Norris Geyser Basin

Sulphur Cauldron

An Elk wanders near Yellowstone Lake

Hot Spring Detail

Continual Geyser, Norris Geyser Basin

Norris Geyser Basin

Norris Geyser Basin

Norris Geyser Basin

Norris Geyser Basin

Norris Geyser Basin

Artists Paintpot

The Parting Shot – A young tourist in her moose outfit

Ver o post original

Como conhecer as coisas senão sendo-as?: Os nadifúndios de Manoel de Barros (1916-2014)

MONTE DE LEITURAS: blog do Alfredo Monte

manoel-de-barros2

Há quem  receite a palavra ao ponto de osso, de oco,

ao ponto de ninguém e de nuvem.

Sou mais a palavra com febre, decaída, fodida, na

sarjeta.

Sou mais a palavra ao ponto de entulho.

Amo arrastar algumas no caco de vidro, envergá-las

pro chão, corrompê-las

até que padeçam de mim e me sujem de branco.

Sonho exercer com elas o ofício de criado:

usá-las como quem usa brincos.

(de Arranjos para assobio, 1980)

compêndioguardador de águas

(uma versão da resenha abaixo foi publicada originalmente em A TRIBUNA de Santos, em 18 de novembro de 2014)

“Bom era/ser como o junco/no chão: seco e oco./Cheio de areia, de formiga e sono./Ser como pedra na sombra (almoço de musgos)/ ser como fruta na terra, entregue/aos objetos…”

Foi já quarentão que o recém-falecido — aos 97 anos — Manoel de Barros chegou às formulações poéticas na feição que o tornaram tão querido, no…

Ver o post original 1.645 mais palavras