A SUAVE INSENSATEZ DA LOUCURA

Sustentabilidade e Democracia

862601_gernika

Foto: Guernica, obra prima de Pablo Picasso.

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais.

Preferi sempre a loucura das paixões à sabedoria da indiferença”.
Anatole France

Certa vez, Michel Foucault afirmou que “a psicologia nunca poderá dizer a verdade sobre a loucura, pois é a loucura que detém a verdade da psicologia”. Não por acaso, o mestre francês escreveu a “História da Loucura”, obra fantástica onde descreve que, na maior parte das vezes, a racionalidade dominante utilizava-se da internação como estratégia para afastamento daqueles considerados como impróprios para o meio, como os rebeldes, os intelectuais, os profetas ou, simplesmente, os excluídos.

Durante a Idade Média europeia, grandes pensadores, como Galileu, foram obrigados a abdicar das suas ideias revolucionárias, e outros, como Giordano Bruno, receberam condenação à fogueira, simplesmente por demonstrarem que o mundo era diferente do modelo de…

Ver o post original 715 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.