Jovens gritam contra pauta conservadora de Cunha

Cerca de 400 jovens fizeram um ‘escracho’ nesta segunda-feira 2 em frente à casa do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB), em Brasília; o grupo, articulado principalmente pelo movimento Levante, defendeu o afastamento de Cunha do cargo diante de denúncias de corrupção envolvendo seu nome e protestou contra a agenda conservadora da Casa, onde estão sendo aprovados projetos que tiram direitos das mulheres, prejudicam indígenas e a classe trabalhadora; Janderson Barros, do coletivo de juventud

Sourced through Scoop.it from: www.brasil247.com

See on Scoop.itBOCA NO TROMBONE!

Requião diz que elites querem “guerra civil” ao proporem venda do país

ALÔ BRASIL

requiao_congresso-592x296

Que o senador Roberto Requião (PMDB-PR) não tem papas na língua todos nós já sabemos, pois ele fala e escreve o que pensa. Não foi diferente sua ira santa em relação à Fundação Ulysses Guimarães (FUG), braço político de seu partido, que apresentou esta semana um plano de governo denominado “Uma ponte para o futuro”. Na verdade, segundo o parlamentar, a legenda peemedebista, com apoio da velha mídia, pretende vender o que não lhe pertence. Ele se refere ao pré-sal brasileiro cujas reservas serão destinadas à educação e à saúde.

“As elites querem entregar, vender, o que não lhes pertence. Querem guerra civil e instaurar o terror”, advertiu Requião. Para ele, a proposta da FUG/PMDB é a mesmo que “derreteu” a imagem e o governo de Fernando Henrique Cardoso, nos anos 90.

“O projeto da FUG/PMDB acena para Washington, rentista, bancos, capital e diz o que faria no poder, mas…

Ver o post original 117 mais palavras

RIFLESSIONI SULLA NOSTRA ESISTENZA

ROSEBUD - Arts, Critique, Journalism

Albert_Einstein_Headdi Luciano Cicu. Un signore cattolico appassionato di cultura scientifica.
Non di rado il nostro apparato acustico riceve sensazioni sonore con parole ornate di un velo provocatorio del tipo- “ Ma tu, amico, in che mondo vivi?”
Di primo acchito, non è gradevole rispondere con la stessa tonalità, né si vuole correre l’àlea di banalizzare della nostra esistenza, né di egotizzare  rispondendo a tono. A tale punto, balena nella mente un pensiero, ma noi come conduciamo la nostra esistenza? 

Ver o post original 1.909 mais palavras