Sem curvas — Eu Contista

Num mundo sem curvas, ele desenhou um sol quadrado com giz. Os cubos da chuva, que machucavam e nunca paravam de cair, pararam. Mas com eles, todos cubos de água do mundo pararam. Sangue e seiva, também. Tudo morreu. A chuva não machucava mais.

via Sem curvas — Eu Contista

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.