Will the Olympics offer Brazil a way out of crisis or add to its burden? — The Guardian

With three weeks to go until the opening ceremony, Rio de Janeiro is desperate for an uplift – and fearful of what will happen when the athletes leaveAs dusk falls over Copacabana beach, Ubira Santos, a 63-year-old sand sculptor, relaxes with a few friends on deckchairs in front of one of his distinctive creations.A handful…

via Will the Olympics offer Brazil a way out of crisis or add to its burden? — The Guardian

clownin’ / payaseando — Gabriel Navar

” virtual_view_clownin’ ” ©GN 2016 16 x 12 in; acrylic, pencils, ink & oil on canvas board; #JackInTheBox #VR #GoogleCardboard #art #arte #virtualreality #clown #tshirt #LaSelección #GabrielNavar #payaso http://gabrielnavar.com

via clownin’ / payaseando — Gabriel Navar

O grande irmão nos protege

Oficina de Concertos Gerais e Poesia

Graças à eterna vigilância da Rede Globo e à pronta ação do Mistério da Justiça de Temer, o Brasil está a salvo do terrorismo islâmico.

Ministro da Justiça.jpgDa Folha de São  Paulo

O Ministério da Justiça determinou em 15 de julho de 2016 a deportação sumária do professor Adlène Hicheur, franco-argelino que era professor visitante da UFRJ. O professor teria ouvido dos policiais que a medida foi determinada pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes.

Hicheur.jpg

Os agentes deram a ele uma hora para arrumar suas roupas e decidir o que levar.

Em nota oficial, o Ministério da Justiça afirmou que a decisão convinha “ao interesse nacional”.

Segundo revelou à revista “Época” em janeiro, Hicheur foi investigado e condenado por terrorismo na França em 2009.

Época e o terrorista.jpg“Eu fui preso pela polícia francesa no fim de 2009 e a única justificativa desta minha detenção foram minhas visitas aos chamados sites islâmicos subversivos. Fui privado da…

Ver o post original 205 mais palavras

O Império esperneando em todas as frentes

SENHOR X

Fernando Rosa

Os últimos acontecimentos mundiais deveriam pautar obrigatoriamente qualquer posicionamento nacional diante da crise politica interna.

No entanto, a impressão que se tem atualmente é que a velha e histórica prática de abrir qualquer reunião política com “análise de conjuntura” foi esquecida. Não se avaliam mais cenários, a situação internacional não existe e geopolítica é coisa de “teóricos da conspiração”.

Mas, vamos então aos tais fatos, que deveriam ser considerados para definir táticas e estratégias, além das disputas eleitorais e por cargos nas burocracias.

O golpe na Turquia. Apesar das poucas informações, parece clara a mão americana. Ao que tudo indica, o presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdoğan, estava apostando em distensionar as relações com a Rússia. O que, evidentemente, não interessaria aos Estados Unidos. Então, tome golpe.

Atentado na França. Independente da autoria, o fato concreto é que ajudou a política belicista americana. A primeira declaração do presidente…

Ver o post original 476 mais palavras