#review22 – “O Homem e Seus Demônios”, de Fernando Risch

BLOG ALEXANDRIA

12961468_862408903870846_5713653877894989211_nLivro:O Homem e Seus Demônios

Autor:Fernando Risch nasceu em Bagé-RS em 1989, é graduado em jornalismo e marketing, atua como radialista e escreve crônicas esportivas para a ESPN. Fernando escreve romances desde 2012.

Páginas: 216

Ano: 2015

Editora: Multifoco

Sinopse:Em O homem e seus demônios, Fernando Risch expõe o ser humano assombrado, literalmente, pelos seus antecessores na procura por respostas questionadas pela vida – e pela literatura. Ao tentar alcançar seus sonhos, Farris Knox se aterroriza com as infindáveis dúvidas que serão postas em seu caminho e não há bebidas ou cigarros suficientes para tranquilizar sua alma. Como ao utilizar restos humanos para fabricar sabão, o escritor usará as mesmas inquietações de George Orwell, Charles Bukowski, Ernest Hemingway, F. Scott Fitzgerald, José Saramago, Edgar Allan Poe em seu Livro do Fim. Ou seria em O homem e seus demônios? O mundo se esvai em repetições e o…

Ver o post original 412 mais palavras

A dialética da produção e consumo em Marx

Teoria e Práxis

A dialética da produção e do consumo culmina na percepção de que uma relação permanente entre os dois termos significa a dependência recíproca de ambos e, ao mesmo tempo, a primazia do primeiro termo (da produção).

O consumo possibilita a produção a partir do momento em que todos os produtos de consumo são finitos, já a produção cria até mesmo formas específicas de se consumir cada produto (e formas de exclusão para aqueles que não sabem como um produto deve ser consumido).

Com base no texto Para Uma Crítica da Economia Política de Marx, resenhamos a relação entre produção e consumo. Continue lendo e entenda!

A dialética da produção e do consumo

Basicamente, a produção em si já é um ato de consumo. Isso porque o próprio ato da produção tem como pressuposto o consumo objetivo (das matérias-primas) e subjetivo (de si próprio):

  • Começando do ponto de vista subjetivo (que…

Ver o post original 685 mais palavras

O PROTOFASCIMO E O RETROCESSO NA POLÍTICA AMBIENTAL

Sustentabilidade e Democracia

macaco1

Autor: Sandro Ari Andrade de Miranda, advogado, mestre em ciências sociais.

A onda neofascista que impulsionou o golpe de estado perpetrado pelos conservadores no Brasil está tendo impacto direto na disseminação de vários retrocessos na política ambiental. Não falo apenas na nefanda PEC 65/2012, que praticamente estingue o licenciamento ambiental de grandes projetos, mas no crescimento de uma cultura que tem como foco a redução de políticas públicas e a restrição da tutela de direitos fundamentais.

Enquanto vários países do mundo, como Bélgica e França já debatem avanços no reconhecimento de direitos civis para animais não humanos, o que, por si só, pode ser considerado como um avanço civilizatório, no Brasil o próprio Supremo Tribunal Federal tem admitido a inversão do ônus da prova no processo criminal, com uma interpretação equivocada da “teoria do domínio do fato”, admitindo uma orgia de prisões cautelares para forçar “delações…

Ver o post original 267 mais palavras