Solitude

Textos e mais textos

Eu acordo e me deparo com uma bagunça que não existia na noite anterior. Tudo revirado. Parece que uma invasão ocorreu. Me pergunto o quão pesado dormi nessa última noite e, honestamente, não consigo lembrar. Nem da noite passada. Muito mal do dia anterior.

O pouco que me vem à mente é reflexo de algo rotineiro.

Dor. Fuga da dor. Bebida. Palavras. Dor.

Nessas palavras que me fogem pelos dedos nas repetidas dores, nada me vem. Só solidão. O conforto esperado, não. O devaneio parado, não. O choro velado, não. Solidão. Sombra. Vazio. A incapacidade de sentir, volta a me assombrar e eu já penso e só penso em fugir.

Fugir de mim mesmo. Fugir que quem me afugenta. Fugir desse medo de ir.

Penso tanto nessa ainda madrugada que chega me espanto. E por me espantar, acordo.

Olho ao redor e vejo que tudo está no lugar. Vejo que…

Ver o post original 215 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.