Uma derrota judicial humilhante para a bancada ruralista

rsurgente

Deputado Alceu Moreira (PMDB-RS),, presidente da CPMI Incra-Funai, determinou a quebra do sigilo  bancário de pessoas jurídicas que organizam e prestam serviços ao povo indígena. (Foto: Lúcio Bernardo Junior/Agência Câmara) Deputado Alceu Moreira (PMDB-RS),, presidente da CPMI Incra-Funai, determinou a quebra do sigilo bancário de pessoas jurídicas que organizam e prestam serviços ao povo indígena. (Foto: Lúcio Bernardo Junior/Agência Câmara)J

Jacques Távora Alfonsin

O poder opressor da bancada ruralista atuante no Congresso Nacional, sobre todo o contingente de brasileiras/os pobres com direito a reforma agrária, sobre índias/os e quilombolas, gente sem terra e com pouca terra, só é desconhecido por algumas decisões judiciais e administrativas indiferentes a injustiça social que ela impõe sobre suas vítimas.
O deputado Alceu Moreira (PMDB/RS), um dos seus líderes e presidente da CPMI Incra-Funai, determinou a quebra do sigilo bancário de pessoas jurídicas que organizam e prestam serviços ao povo indígena. Conforme registra o site do Supremo Tribunal Federal no dia 8 de agosto, dessa vez a bancada ruralista, mesmo com todo o seu poder, sofreu um duro revés:

“O ministro Luiz Fux, do…

Ver o post original 565 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.