御食国若狭おばまYOSAKOI祭2016

wakasa15thfd

dsc_9770-18

dsc_9665-18dsc_9718-18今回で14回目となり県内外から30チームが参加して華麗さを競いました。

dsc_9609-18

dsc_9622-18

dsc_9633-18

dsc_9640-18カラフルな衣装に包まれてパワー全開👏少し暑かったようです。

dsc_9647-18 dsc_9661-18

dsc_9738-18この男性の筋肉凄かった(@_@)

dsc_9784-18

dsc_9652-18

dsc_9740-18dsc_9723-18ファイナルへ10チームが進みましたが内3チームが地元・小浜のチームでした👏レベル高いんだ(@_@)

dsc_9701-18

dsc_9712-18

dsc_9675-18

dsc_9706-18dsc_9605-18 dsc_9625-18 dsc_9681-18

dsc_9687-18 dsc_9694-18

dsc_9655-18

dsc_9696-18 dsc_9707-18 dsc_9721-18 dsc_9733-18

dsc_9735-18

Ver o post original

“Lula ou morte!”

SENHOR X

Fernando Rosa

“A Lava Jato é maior que nós”?

Esta não pode ser sua desculpa. Tamanho, Senhor Procurador-Geral da República, é muito relativo. A Lava Jato pode ser enorme para quem é pequeno, mas não é para o Senhor, como espero conhecê-lo. Nem pode ser para o seu cargo, que lhe dá a responsabilidade de ser o defensor maior do regime democrático (art. 127 da CF) e, devo-lhe dizer, senti falta de sua atuação questionando a aberta sabotagem à democracia. Por isso o comparei a Pilatos. Não foi para ofendê-lo, mas porque preferiu, como ele, lavar as mãos.

– Procurador e ex-Ministro da Justiça Eugênio Aragão em carta-resposta ao Procurador Geral da República Rodrigo Janot.

O questionamento de Aragão ao Procurador Geral da República, Rodrigo Janot, encerra o grande mistério da guerra política instalada no Brasil atualmente. Ela ganha ainda mais sentido depois do circo fascista armado por seus procuradores…

Ver o post original 415 mais palavras

O Bar de Barrão

Almanaque Cruzalmense

bar-de-barrao-1960 Bar de Barrão, na Avenida Alberto Passos em 1960

Quem viveu em Cruz das Almas/BA nos anos oitenta há de se lembrar do Bar do Barrão. Estabelecimento comercial, tocado pelo simpático Barrão. Ficava bem ali na Avenida Alberto Passos, pertinho da praça Senador Temístocles. Era frequentado predominantemente por pesquisadores da Embrapa e professores da então Escola Superior de Agricultura (a primeira do Brasil), hoje Universidade do Recôncavo. Por lá passavam também pessoas simples e modestas da comunidade. Lugar democrático, supostamente sem preconceitos. (…)

Naquele pequeno espaço cabia mais o moleque e alegre aconchego baiano que pilantragem e maldade. Para quem sabia curtir, era um bom exercício de superação de preconceitos e reafirmação de amizades. Maravilhoso, frequentado por muita gente boa.

Nada de fino cardápio. O que rolava era carne de sol gorda cozida em pedaços, passarinha, pititinga, torresmo, mocotó e tripa de porco fritas. Sempre duas, no máximo, três dessas opções.

Ver o post original 185 mais palavras

Novas imagens de Marte

Overdose Nerd

A sonda Curiosity da Nasa, que está desbravando os solos do planeta vermelho há algum tempo, nos enviou imagens inéditas das paisagens marcianas, e decidi hoje separar algumas destas imagens para que vocês possam apreciar estes cenários únicos.

Singularmente lindo!!!

Ver o post original

in monólogos

O Paraíso da Serpente

.:

Pra começar: A máscara por debaixo do granito é alguém que ama em paz e em silêncio.  Esboços do que ainda não é. Sufixando verdades do que eu não sabia.  Escrever os pensamentos para não sufocar alguma coisa que passa dentro de mim. A paz e o silêncio. O tempo é indescritivelmente lindo no sótão, Mas eu vivo em paz no subsolo dos meus barulhos paralelos. Ao contrário dos sonhos nesses tempos malucos. As circunstâncias dos sentimentos são ainda mais malucas em silêncio. Só assim pra eu poder suportar a solidão dos meus barulhos. Ninguém deve saber que minha mente e meu coração estão sempre em guerra um com o outro.

Ps: Sim, ela ama, ama junto e também ama completamente só.

Ver o post original

X ALDEIA MULTIÉTNICA: Diálogo entre o fotógrafo Danilo Christidis e a psicóloga Giuliana Mattiazzo Pessoa [Encontro de Culturas 2016, Txt 17]

A CASA DE VIDRO

bruna-brandao-7700bruna-brandao-7706bruna-brandao-7730Fotos: Bruna Brandão

X ALDEIA MULTIÉTNICA

EM DIÁLOGO: DANILO CHRISTIDIS E GIULIANA MATTIAZZO PESSOA

“A vida é a arte do encontro, embora haja tanto desencontro pela vida” – assim dizia o poeta Vinícius de Moraes no “Samba da Bênção”. No “Encontrão”, apelido carinhoso do Encontro de Culturas Tradicionais da Chapada dos Veadeiros, que realizou sua 16ª edição neste 2016, esta arte do encontro é praticada em uma miríade de diálogos, rodas-de-prosa e oficinas que transformam o evento numa multiplicidade de intercâmbios e numa conferência intercultural de saberes.

Catalisador de convívios, o Encontrão oferece chances de nos encontrarmos com as múltiplas faces da alteridade e atua como um autêntico “esticador de horizontes”, para relembrar a expressão tão feliz de Manoel de Barros.

É com imensa satisfação que A Casa de Vidro apresenta um bocadinho do que rolou no Encontrão através deste vídeo, filmado na X Aldeia Multiétnica, que registra um instigante e instrutivo diálogo entre o…

Ver o post original 792 mais palavras