El asesinato de Orlando Letelier y la política del silencio en EEUU — Auca en Cayo Hueso

Por Jon Schwarz/ The Intercept Hace cuarenta años, la noche anterior al 21 de septiembre, agentes que trabajaban para los servicios de la policía secreta chilena, incrustaron explosivos plásticos en el fondo del Chevrolet de Orlando Letelier, que estaba parqueado en la entrada de la casa de su familia en Bethesda, Maryland, en las afueras de Washington, DC.

via El asesinato de Orlando Letelier y la política del silencio en EEUU — Auca en Cayo Hueso

Vampiros da alma nacional

SENHOR X

Fernando Rosa

Os golpistas a serviço do Império norte-americano foram a fundo em sua política de dominação do Brasil e escravização cultural dos brasileiros. Hoje, por meio de uma medida provisória, decidiram retroceder a educação no país aos primeiros anos do século passado. Sem discussão com a sociedade, querem impor o fim dos ensinos de artes, educação física, filosofia e sociologia.

Uma medida absurda que ignora toda nossa história de formação artística, por exemplo, iniciada por D. João VI, em 1816, quando trouxe a Missão Francesa para formar uma Escola de Arte. E que também tripudia sobre a Semana de Arte Moderna, quando a Arte-Educação teve um grande impulso, com as idéias de livre expressão, de Mário de Andrade e Anita Malfatti.

Em sua insanidade, os golpistas também renegam até mesmo a política educacional do período militar, quando o ensino de arte foi incluído no currículo escolar, em 1971. A partir de 1996…

Ver o post original 307 mais palavras

As lições de todo dia

POUCAS PALAVRAS

Já ouvimos milhares de vezes que a vida é um piscar, sabemos que ela é fugaz e que não vamos durar para sempre aqui por essas bandas, ainda que alguns acreditem em reencarnação, essa vida que vivemos, essa imagem que temos, as amizades que fazemos, os amores que cultivamos, as famílias que formamos, tudo isso, uma hora vai chegar ao fim, isso é um fato indiscutível, mas todos os dias aprendemos uma lição sobre isso.

Ainda que tenhamos a consciência da essência da vida, continuamos tendo uma certa dificuldade de absorção daquilo que realmente seria o necessário para viver por essas bandas e perdemos um tempo precioso com coisas pequenas, diante de uma imensidão de coisas que podemos realizar para nós, para o outro e com o outro, para que nossa vida valha realmente à pena. A simplicidade de viver ainda causa muito estranheza.

Nascemos sabendo que morreremos um dia…

Ver o post original 396 mais palavras