114 anos de Carlos Drummond de Andrade

1 Pedra no Caminho

Já quis ter muitos talentos. Tentei tocar piano, tentei pintar aquarela e a óleo também. Ainda quero escrever um livro, mas uma arte com a qual não me meto muito é a poesia. É tão único. Acho que a pessoa tem que ser poesia para transbordar seus versos.

… mas admirar poemas é outro departamento e é totalmente ensinável e aprendível. Eu não gostava de poemas antes de fazer Letras. Digamos que eu não entendia muito. Só os versos de amor me tocavam. Hoje eu sei que, para ler um poema, é preciso abrir muitas portas e gavetas escondidas do seu coração e da mente. Deixar o vento entrar e sair. Nesse movimento, vêm folhinhas, gravetos, poeiras de lembranças, aprendizados e sentimentos, com que você tece um ninho para acalentar as palavras, só seu.

Hoje, 31 de outubro, CDA (para os íntimos), o maior poeta brasileiro, faria 114 anos.

Por estatísticas e…

Ver o post original 717 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.