Uma republiqueta chamada Estados Unidos da América

PERSPECTIVA ONLINE

Imaginemos uma campanha presidencial em um dado país. Há dois candidatos, quase empatados nas pesquisas de opinião: um, que lidera as pesquisas, tem o apoio de grande parte da mídia e do empresariado; o outro não tem. Um deles – o que lidera – começa a acusar o outro de ser uma “marionete” de uma grande potência, supostamente interessadíssima na desestabilização deste dado país. O acusado nega tudo, mas de nada adianta: as acusações seguem sem parar, e em breve não serão feitas apenas pelo candidato oponente, mas pelos jornais, revistas e redes de TV que o apoiam.

O leitor pensará que tratamos aqui de algum país pobre e atrasado de nossa América Latina, onde é comum acusar adversários políticos de serem joguetes dos imperialistas. Nada disso: trata-se da eleição dos Estados Unidos da América. E a potência acusada de interferir é a Rússia.

Já tivemos a oportunidade de apontar neste artigo

Ver o post original 114 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.