Bruna Mitrano (1985-)

escamandro

dsc_0027A linguagem é um campo de paina, mas também trincheira da poeta que com seus tubos da mais pura poesia-molotov, opera novas maneiras de estar no mundo e fazer dele um lugar melhor para si, o mundo em que habita e as gerações que ainda virão. Mas não nos deixemos enganar: a linguagem é uma autônoma, sem pretensão de carregar quaisquer funções preestabelecidas. Aliás, nada aqui é preestabelecido. A poesia é que é essencialmente positiva na nossa relação com o mundo. Não são – oxalá! – palavras bem-arranjadas na estante, mas palavras-potências que nascem, vivem, morrem e estão prontas a ressuscitar a cada leitura. [Não, trecho do prefácio]

Bruna Mitrano (1985) é desenhista, ativista cultural e escreve. Seu primeiro livro de poemas, Não, acaba de ser lançado pela Editora Patuá.

nina rizzi

***

houvesse a negativa
a rouquidão da mãe
seu dorso
os pelos revolvidos
aqueles dedos…

Ver o post original 454 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.