A derrota do “jornalismo de guerra”

SENHOR X

Fernando Rosa

“O retrocesso com Trump” – trombetou o jornal O Globo em editorial sobre as eleições norte-americanas. “Mais que surpreendente – porque havia esta possibilidade -, é preocupante para o mundo a vitória de Donald Trump”, vaticinou a família Marinho. A opinião é o atestado da fragorosa derrota que sofreu toda a mídia, nacional e norte-americana.

“Donald Trump foi sujeito à maior e mais violenta campanha de ataques pessoais que alguma vez vi na minha vida”, escreveu Miguel Esteves Cardoso, no jornal Público, de Portugal. Mais do que jornalismo, no Brasil e nos Estados Unidos, a mídia fez campanha publicitária contra Trump. Na reta final, apelou para o terror, com “queda das Bolsas” e “dos Mercados”.

Mesmo assim, o cartel midiático, bem como todo o aparato de pesquisas, viu seu poder de manipulação frustrado pelas urnas. A Globo, por exemplo, deve ter torrado os tubos para mandar William Bonner…

Ver o post original 521 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.