Água que jorra de quase 300 poços no PI não é usada pela população Poços foram abertos com dinheiro público, mas não funcionam. Seca deixou quase todos os municípios estão em situação de emergência. FACEBOOK Mais de 300 poços estão jorrando água bem no meio da região mais seca do Piauí. O que poderia ser uma boa notícia é na verdade um total descaso do poder público porque nenhuma gota é aproveitada pela população que sofre com a falta d’água. Quase todos os municípios do Piauí estão em situação de emergência por causa da seca. Eles jorram água há pelo menos 30 anos. São quase 300 poços e boa parte foi aberta com dinheiro público pelo Dnoc’s – Departamento Nacional de Obras Contra a Seca – para irrigação de frutas, só que eles nunca funcionaram. A região é a do Vale do Gurgueia, onde está a terceira maior reserva de água subterrânea do Brasil. No poço Violeta, um dos que possuem maior vazão se perdem mais de 78 milhões de litros de água por mês. Isso corresponde a 9.800 caminhões-pipa – 60% desses poços ficam em propriedades privadas abastecendo restaurantes e piscinas. É água que faz falta a mais de milhão de piauienses, que sofrem os efeitos da estiagem prolongada. Dos 224 municípios, 201 decretaram situação de emergência. Na região, que fica a maior parte dos poços, moram 600 mil pessoas que poderiam estar sendo beneficiadas com essa água. O banheiro da Luciana das Virgens do Nascimento, construído há cinco anos, não há descarga, na pia não tem torneira, chuveiro muito menos. “Faz dez anos que eu moro aqui e nunca me tomei banho de chuveiro”. No entorno da casa de Luciana tem pelo menos 25 poços jorrando água. “Nós expedimos recomendações aos empreendimentos privados e a Secretaria Estadual do Meio Ambiente para que instalasse na região o controle de vazão desses poços, porque o que analisamos é o total uso desregrado da água por esses empreendimentos”, fala o promotor de Justiça Regional Ambiental, Vando da Silva Marques. O superintendente de Recursos Hídricos do Piauí disse que vai fazer uma parceria com a Agência Nacional de Águas – a ANA – para instalar os registros de controle de vazão dos poços, como recomenda o Ministério Público. Só que isso só vai ser feito depois que eles identificarem todos os poços. Esse trabalho de identificação já começou, mas não tem prazo para terminar. —

via Água que jorra de quase 300 poços no PI não é usada pela população Poços foram abertos com dinheiro público, mas não funcionam. Seca deixou quase todos os municípios estão em situação de emergência. FACEBOOK Mais de 300 poços estão jorrando água bem no meio da região mais seca do Piauí. O que poderia ser uma boa notícia é na verdade um total descaso do poder público porque nenhuma gota é aproveitada pela população que sofre com a falta d’água. Quase todos os municípios do Piauí estão em situação de emergência por causa da seca. Eles jorram água há pelo menos 30 anos. São quase 300 poços e boa parte foi aberta com dinheiro público pelo Dnoc’s – Departamento Nacional de Obras Contra a Seca – para irrigação de frutas, só que eles nunca funcionaram. A região é a do Vale do Gurgueia, onde está a terceira maior reserva de água subterrânea do Brasil. No poço Violeta, um dos que possuem maior vazão se perdem mais de 78 milhões de litros de água por mês. Isso corresponde a 9.800 caminhões-pipa – 60% desses poços ficam em propriedades privadas abastecendo restaurantes e piscinas. É água que faz falta a mais de milhão de piauienses, que sofrem os efeitos da estiagem prolongada. Dos 224 municípios, 201 decretaram situação de emergência. Na região, que fica a maior parte dos poços, moram 600 mil pessoas que poderiam estar sendo beneficiadas com essa água. O banheiro da Luciana das Virgens do Nascimento, construído há cinco anos, não há descarga, na pia não tem torneira, chuveiro muito menos. “Faz dez anos que eu moro aqui e nunca me tomei banho de chuveiro”. No entorno da casa de Luciana tem pelo menos 25 poços jorrando água. “Nós expedimos recomendações aos empreendimentos privados e a Secretaria Estadual do Meio Ambiente para que instalasse na região o controle de vazão desses poços, porque o que analisamos é o total uso desregrado da água por esses empreendimentos”, fala o promotor de Justiça Regional Ambiental, Vando da Silva Marques. O superintendente de Recursos Hídricos do Piauí disse que vai fazer uma parceria com a Agência Nacional de Águas – a ANA – para instalar os registros de controle de vazão dos poços, como recomenda o Ministério Público. Só que isso só vai ser feito depois que eles identificarem todos os poços. Esse trabalho de identificação já começou, mas não tem prazo para terminar. —

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s