A menina do mundo

Poesias de Mãos que Sentem

UM FILHO HOMEM

Haveria de rasgar meu ventre

com a força de seus ombros

com foguetes de dores de parto

com o aroma do amor vivido,

intensamente,

incandescentemente,

irresistivelmente.

Viria de minhas entranhas,

na comunidade em Itapuã

aconchegado por muitas mãos

qual uma sinfonia

o filho homem ansiado,

desde cedinho com os bonecos de brincar.

Veio menina,

fruta de meu ventre,

dedo na boca

olhos verdes de marcianos.

Veio menina,

meu sonho de amamentar, de aninhar no colo, de beijar, de abraçar,

de me continuar.

Veio menina.

Canal: TMusicaCanal

Canal: Odonir Oliveira

NÃO CHORE, MINHA CRIANÇA

Pudesse a mãe que lhe deu luz

tirar-lhe todas as dores

todas as mágoas

todos os arranhões e injúrias no porvir.

Pudesse a mãe que lhe deu luz

curar todas as suas gripes e tosses,

mesmo antes de aparecerem,

todas as suas coceiras e machucadelas

dos tombos inevitáveis.

Pudesse a mãe que lhe deu…

Ver o post original 79 mais palavras

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s