Quem ganhou em 2016 vai perder em 2017 | Blog da Cidadania

Muito se falou de 2016. Que não vai terminar ou que foi o annus horribilis do século XXI para o Brasil. Alguns, porém, dirão que foi magnífico. Há os que têm o que comemorar. É gente que ganhou muito enquanto quase todos perderam. Mas tudo que os brasileiros deram a essa gente em 2016 irão cobrar em 2017. Acompanhe a minha linha de raciocínio. É lógica pura.

Fonte: Quem ganhou em 2016 vai perder em 2017 | Blog da Cidadania

Brinde aos injustiçados

Telha do Tiago

la-belleza-persiste Uma foto de 2013 tão atual quanto nunca havia sido

Que 2016 não foi dos anos mais fáceis, isso não há dúvida. Em livros de história do futuro é bem capaz que olhemos o que foram esses 365 dias e questionemos: “Como é que fizeram isso?”. Pudéssemos, por certo mudaríamos muitas das coisas feitas nesse período.

Mas, a bem da verdade, que ano que passa incólume na nossa avaliação? Toda trajetória é feita de erros e acertos, perdas e ganhos. Às vezes mais, às vezes menos em proporção. A banca paga e recebe, enfim.

Este ano, ao menos pelas pessoas que me cercam – o que pode ser simplesmente efeito da minha bolha social – parece que não deixará saudades alguma. Há pessoas dando graças a Deus por 2016 terminar como se janeiro de 2017 fosse a certeza da redenção.

O meu ano também não foi dos melhores, como o…

Ver o post original 105 mais palavras

Nada é como antes

Sorria!

Um casal de idade está celebrando as bodas de ouro, e eles decidem voltar à cidadezinha do interior onde eles se conheceram. Sentam numa lanchonete para tomar um café e estão contando à garçonete sobre o amor que os une há tanto tempo e como se conheceram nessa mesma lanchonete. Perto deles está sentado um guarda que ouve a história e que sorri com o relato.
Depois que a garçonete volta para a cozinha o velho diz à mulher:
“Lembra da primeira vez que transamos, lá naquele pasto perto da estrada, encostados na cerca? Vamos fazer isso de novo?”.
A mulher se excita toda e diz com um sorriso malicioso:
“Claro! Vamos lá!”.
Eles então pegam o carro e vão até o local. O guarda, curioso, dá um tempinho e vai atrás deles. Ao chegar perto, ele se esconde atrás de um arbusto, interessado pela cena que espera ver.
O…

Ver o post original 146 mais palavras

Visit to Fort Clatsop, Oregon part2

Ancientfoods

Topic: Clatsop Indians Pt 2 What they ate

Below is an exerpt from the offical site for the Clatsop-Nehalem tribes

Web site: clatsop-nehalem.com

A BRIEF HISTORY OF THE CLATSOP-NEHALEM PEOPLE

Since long before European people first arrived on our shores, there has been a Clatsop-Nehalem people.

Most Clatsops dwelled along the northern Oregon coast from the Columbia River to Tillamook Head near Seaside, while most Nehalem-Tillamook dwelled in villages from Tillamook Head to well south of Tillamook Bay. Yet, the lines between these two people were by no means sharp, geographically or socially. The Clatsop and Nehalem peoples shared resource harvesting areas, such as the rich berry picking grounds of Clatsop Plains, and visited the same sacred places, such as Saddle Mountain. They gathered together each summer to trade with visiting tribes, socialize, and conduct ceremonies at the large village near Tansey Point, in present-day Hammond, Oregon. In the winter, many gathered together in a mixed Clatsop-Nehalem village…

Ver o post original 456 mais palavras