Frau Merkel

a farpa

No momento em que a Humanidade se confronta com a crua realidade de se descobrir nessa permanente guerra que por muito tempo se negou, nesse silêncio amplamente quebrado por notícias de última hora e avisos de que uma bomba matou um anónimo mais em nome de ninguém que não algo material sem causa ou razão, no instante em que o feminismo se transmuta para ser igualdade sem género ou trejeito de fragilidade, no balanço da transformação Europeia em que a crítica se faz pela incapacidade em agradar às minorias feitas voz maioritárias surge na discórdia esse acto único que (re)define toda a carreira pública de alguém.

O título não deixa escape ilusório, muito menos a longa e extensa introdução. Falta agora dizer o porquê.

Frau Merkel, ser inexorável e injustificado, dona e merecedora de inúmeras críticas fortes e justas sobre um percurso político complexo defendendo a uma Alemanha possante…

Ver o post original 225 mais palavras

Marruecos abre los tesoros de la biblioteca más antigua del mundo

QuéLeer

La biblioteca Al-Qarawiyyin, que fue fundada en 859, reabre tras varios años de restauración.

Escondida en el laberinto de calles de la medina de Fez, antigua capital imperial de Marruecos, se halla la biblioteca más antigua del mundo.

biblioreca-jpg_885862327Uno apenas percibe su oscura puerta de madera tallada en el mismo lugar donde se halla, la plaza de los herreros, donde artesanos atareados repujan el cobre a mano, en medio de un ruido ensordecedor y bajo la mirada fascinada de los turistas.

 Una vez atravesado el umbral, una primera escalera de cerámica jaspeada en verde y azul -el famoso azul de
Fez- cautiva la mirada y deja adivinar lo que vendrá después.

La biblioteca Al-Qarawiyyin, a menudo presentada como la más antigua del mundo, como salida de un cuento de Jorge Luis Borges, reabre tras varios años de restauración.

De momento no está abierta al público y es sólo accesible…

Ver o post original 553 mais palavras

Peace of Paper

a farpa

Já antes mencionei o extraordinário facto histórico ocorrido a 30 de Setembro de 1938 quando o Primeiro Ministro Inglês de então, Lorde Neville Chamberlain, junto com o seu congénere Francês, Edouard Deladier, e Italiano, Benito Mussolini, assinam um Tratado de Paz com a Alemanha Nazi de Hitler para que não invada a Checoslováquia. O Tratado de Munich.
Em causa estava o interesse económico e industrial no País, assim como os três milhões de cidadãos Alemães residentes por lá.

Estava em causa também o inicio de um conflito Europeu, grave para as políticas estruturais de então.

Apesar do Tratado de Paz ser assinado nas primeiras horas de dia 30, fica timbrado a 29 de Setembro de 1938, selando a Paz que pouco ou nada duraria, ou ditando o valor da palavra dada nestas ocasiões.
Famoso mesmo é o pedaço de papel de alvíssaras com o discurso de Chamberlain ‘Peace for…

Ver o post original 218 mais palavras