ETERNO SOLITÁRIO

Pão de Canela e Prosa

solitario

Sou o eterno solitário

Que vaga nas ruas desertas

Procurando paz.

Sou o eterno solitário

E procuro matar

minha sede,

minha fome,

minha ânsia

De encontrar a liberdade,

a justiça verdadeira…

A voz cala-me no peito,

As lágrimas secam-se em seu ventre.

não posso falar,

não devo chorar…

Serei eu o único solitário?

Ver o post original

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.