Bater não é educar.

ANTES QUE ELES CRESÇAM

No passado era bem comum as crianças levarem uns tapinhas. Ou uns tapões (para não detalhar o ritual de tirar o cinto, etc). Mas agora não é mais assim. Será que ficamos todos fracotes? Será que estamos com muita frescura? Não. Os tapas dos pais eram fruto de uma vida muito difícil e por vezes muito violenta. Eles não sabiam fazer melhor. Nós sabemos. Mais do que isso, nós sabemos que bater não resolve. E que um tapinha, dói.

Vivemos em um mundo cheio de coerção. Outro dia, assisti vários vídeos de sala de aula para minha pesquisa do mestrado. Teve uma aula (de uma hora) que eu quase vomitei quando acabou. Escola particular, turma pequena, a professora agredia as crianças – com palavras – o tempo inteiro.  O saldo da aula é que ninguém aprendeu nada e foram todos agredidos. Parece que ficar quieto, não falar, não se mover…

Ver o post original 1.008 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.