Domingo é dia de Blues: Rolling Stones – Blue and Lonesome

ESTERILTIPO

Rolling Stones é uma banda que, francamente, dispensa apresentações.

No novíssimo álbum, “Blue and Lonesome”, lançado em 2 de dezembro de 2016, fizeram um dos melhores discos de Blues dos últimos anos. Blue and Lonesome é, ao mesmo tempo, uma peça simples e requintada, como tudo aquilo em que se põe o coração.

Desfrutem!

Agradecimento: Cris Machado.

Ver o post original

do futuro – pronome pessoal do caso reto da primeira pessoa do singular

{água vívida}

Último suspiro em 2016. Leia também do futuro – prólogo

Uma vez escrevi: “Renasço assim da simbiose quase perfeita de quem fui mas, principalmente, das possibilidades de quem serei. Fênix” na despedida de Dois Mil e Crise, dando passagem ao 2016.

Evito usar pronomes em primeira pessoa, detesto. Retiro da escrita qualquer singularidade, por mais que a conjugação verbal aluda às particularidades da vida. Da minha própria. E dessa forma quem lê sabe de quem se trata. Às vezes, releio e corto todos eles, modifico sentenças e logo alcanço a fluidez necessária. Incomoda a alma. Desperta o desconforto. Porventura, as mulheres que habitam o corpo entram em consenso e exigem algum grau de impessoalidade. Conivência. Elas se acalmam.

Não tenho o costume de colocar metas e promessas para o ano que entra, uma vez que esse ritual que se impõe depois de 365 não me causa sensação mágica de…

Ver o post original 208 mais palavras

Li o livro da Andressa Urach, deixa eu te contar o que achei!

La Amora

andressa2

Fiquei curiosa para ser esse livro, queria demais conhecer as histórias tão polêmicas da Andressa Urach. Eu sinto uma simpatia por ela, e nem sei explicar o porquê. Como eu cheguei a ler inúmeras notícias e resenhas, acabei não se surpreendendo muito. A figura dela é interessante, e o livro também… seja ou não uma jogada de marketing. Vejo a Andressa como um exemplo vivo da loucura que é o universo do entretenimento, das coisas boas e ruins que acontecem no submundo das celebridades e que a gente não vê no jornal. O livro carrega um discurso muito forte de arrependimento, a narradora é uma pessoa que cometeu loucuras e exageros em busca de uma satisfação: tudo isso envolvia fama, dinheiro e muito sexo.

O que mais humaniza Andressa é a sua origem, o fato de ela ter nascido em uma família como todas as outras famílias brasileiras. Ela…

Ver o post original 213 mais palavras

Snowden: Certo e errado é diferente de legal e ilegal

christofoletti.com

Edward Snowden lembra que em diversos momentos de progresso da história dos Estados Unidos, as leis foram quebradas. Não por mera ilegalidade, mas porque era o certo a se fazer. Certo e errado não é a mais coisa que legal e ilegal…

Se fôssemos traduzir para a realidade brasileira, seria mais ou menos assim: Funcionamento regular das instituições não garante legitimidade política.

Ver o post original