PARA LÁ DO SOL POENTE…

azul

Sempre se pode imaginar o que estará, para lá do sol poente…

A imaginação percorre a mente, de cansada adormece, e não pára em busca do sentido, se é que ele existe…

Qual sentido esse, que nos consome, nos mobiliza e destranquiliza?

Seremos por acaso produtos imaginativos, que por tão grandiosos, não conseguimos acompanhar nossa mente a sonhar, e a conjecturar?

Sim, não ou talvez?

Por isso adormecemos, pensamos que descansamos, mas sonhamos, ou se quisermos, relembramos…

E, assim vivemos de  noite e de dia, duas realidades diferentes, mas não menos imponentes…

Uma culpa a outra, mas as duas se abstêm de se encontrarem, ou quiçá, andem mesmo juntinhas e nós, donos delas, com elas, baralhados …

Dormem lado a lado num corpo só, que se entrega ao manifesto, com pensamentos fusos e difusos, por tal, deixam-se sonhar com estes pensamentos reais, transformados em sonhos ou pesadelos, conforme a transmissão…

Ver o post original 95 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.