Sobre a perda de pessoas – por Anderson Lula Aragão

A Simplicidade das Coisas — Augusto Martini

Sempre estamos nos relacionando com pessoas. Algumas de forma rápida e fortuita, como numa fila de banco ou no atendimento numa loja. Estas perdemos logo, e nem sentimos falta, ainda que agradecidos.

Outras perdas são de convivência mais prolongada, como os colegas de escola, de um curso ou de um ambiente de trabalho. Estes vão se perdendo com o tempo… E ainda que hajam reencontros, o curto momento gerado não satisfaz a saudade, e encontros inesperados mal dá pra cumprimentar, mas administramos estas perdas.

Ainda perdemos amigos de perto, que conviveram bem perto, enxugaram nossas lágrimas, sopraram velas junto conosco em nossos aniversários, vibraram conquistas e vitórias… Mas ainda assim, os perdemos por diversas razões… E superamos, ainda que a saudade e as lembranças nos sejam memoráveis.

image

Perdemos amores, ainda que outros viessem depois. Estas foram perdas que trazem trauma, ou alívio, quem sabe até as duas coisas. Mas essas…

Ver o post original 145 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.