Cícero denuncia Catilina

Ensaios e Notas

O que fazer quando um manipulador sanguinário conspira para dar um golpe, arrebatando o poder da República e te matar? Sem armas ou exércitos o orador romano Marcos Túlio Cícero (106–43 a.C) empregou seu mais poderoso recurso: as palavras.

Nos meados do século I Roma possuía um vasto território na bacia do Mediterrâneo e estava em franca expansão. Todavia, a tensão interna resultante de uma sociedade complexamente estratificada fragilizava a República. De um lado havia generais sedentos de poder, de outro o descontentamento social rampante.

Na época, a sociedade romana estava dividida de tal forma que as vestimentas, privilégios e protocolos tornavam patentes as diferenças. No topo ficavam os patrícios, que reuniam os senatores — as antigas famílias fundadoras de Roma que constituíam a classe senatorial, cujos ofícios restringiam-se à guerra e à agricultura — e equites — a classe enriquecida com o comércio. Quando os membros da classe econômica galgavam…

Ver o post original 562 mais palavras

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.