Prece brincante

insensateza

Senhor(a) deus(a) das crianças

fazei de mim sempre
uma delas

a brincar
nos campos de lírios
de mãos-asas com
o imaginário

e com as outras
mergulhar
na pulsação
da imanência

d e s p r e t e n c i o s a m e n t e

Ah, Senhor(a)
dai-me o leme
da espontaneidade
translúcida

fazendo de mim sempre
uma criança!

Ver o post original

A couple that cooks together, stays together

simple Ula

I’ve started eating spicy food (adding cayenne pepper, jalapeno peppers, banana peppers, etc.) because of him. On our second date ❤, my boyfriend took me to the Thai restaurant. I had no idea what to order so he did it for me and I was sweating while eating the meal, but trying to play it cool 😃.

Health benefits of spicy food: weight loss, heart health, cancer prevention, pain relief and longevity.

cooking-698605_960_720

Ver o post original 406 mais palavras

Racismo e ciência no Brasil pós-abolição (1888-1930) – Oliveira Vianna: o racismo decadente (2)

blog da Revista Espaço Acadêmico

AUGUSTO C. BUONICORE ***

oliveira-viana-na-ablOliveira Vianna (1883-1951) foi professor da faculdade de direito do Rio de Janeiro e, em 1920, iniciou a publicação do seu primeiro e mais importante trabalho Populações Meridionais do Brasil. Logo em seguida elaborou o ensaio de apresentação do censo oficial de 1920, Evolução do Povo Brasileiro. Estas duas obras o projetaram no cenário intelectual brasileiro. Após a Revolução de 1930 foi indicado para consultoria jurídica do Ministério do Trabalho e ajudou na elaboração da nova legislação sindical e trabalhista.

Ele foi o último grande expoente do racismo pseudocientífico brasileiro. No seu primeiro livro não deixou dúvidas sobre quais eram suas referências teóricas mais importantes: “o grande Ratzel” e “os gênios possantes e fecundos” dos Gobineau e Lapouge (ambos racistas). Vianna foi, essencialmente, um apologista das oligarquias rurais brasileiras, procurando reconstruir idealmente como teriam sido os primeiros colonizadores. Entre outras coisas, escreveu: “Pela…

Ver o post original 668 mais palavras

A vida de Carolina Maria de Jesus, autora de “Quarto de Despejo”, em quadrinhos – Saiba mais @ A Casa de Vidro Livraria | A CASA DE VIDRO.COM

[A vida de Carolina Maria de Jesus, autora de “Quarto de Despejo”, em quadrinhos – Saiba mais @ A Casa de Vidro Livraria | A CASA DE VIDRO.COM] é bom. Dê uma olhada! https://acasadevidro.com/2017/03/05/a-vida-de-carolina-maria-de-jesus-autora-de-quarto-de-despejo-em-quadrinhos-saiba-mais-a-casa-de-vidro-livraria/

Seja forte

Manual do Pedro

Não há boa palavra que indique o fim.

Ainda assim, de todas elas, ele achou que as dela foram as piores: Seja forte.

Quem é que te deseja algo assim?

Ele ficou olhando pra ela, ainda incerto de que aquilo tinha mesmo sido dito em voz alta. E naquele momento.

Era o fim dos dois.

Sentiu-se tonto. As coisas não iam tão bem entre eles, é verdade. Mas entre o não tão bem e o adeus ainda tinha um bom caminho, não? Buscou em sua memória os sinais que indicavam o fim. Tédio, rotina, silêncio. Pensou que pudesse ter ignorado alguns desses.

Ainda assim…

Ninguém termina nada do dia pra noite. Muito menos desse jeito. Com um tom de voz normal. Sem sinal de choro, nem nada.

Aquelas palavras dançavam em sua mente: seja forte.

Como?

Seu coração batia devagar, porque quem o fazia acelerar estava ali, dizendo que…

Ver o post original 572 mais palavras