Pantalonas 👖

A Oitava Cor

Essa semana no meu curso de Modelagem aprendemos a fazer o molde da Calça Pantalona, pelo nome eu não conhecia mas já tinha visto várias vezes. Procurei saber um pouquinho mais sobre elas e achei interessante escrever pra vocês. Por volta de 1934 quando as mulheres ainda não podiam usar calças, Coco Chanel foi a primeira a aderir a moda. O nome Pantalona ainda não existia e nem havia um nome específico, mas as características já eram visíveis como calças largas e que eram usadas como um instrumento de conforto pois as mulheres tinham acabado de conseguir o direito de trabalho. Só em 1970 que elas foram nomeadas Pantalonas, ganharam forma e modelo exclusivo e como tudo que já foi sempre volta, fazem parte do nosso guarda roupa atual. Pra quem não conhece as Pantalonas são essas calças larguinhas do joelho pra baixo, como na foto que coloquei no final…

Ver o post original 18 mais palavras

OU MANTENHA-SE DESINFORMADO, IDIOTIZADO E MANIPULADO. OU MANTENHA-SE IDIOTIZADO E FUDI*O.

Gustavo Horta

esculacho2SE TIVER MESMO ALGUM INTERESSE EM SABER DE ALGUMA COISA, LEIA!

OU, ENTÃO, FIQUE A REPETIR AS TRAMAS E TRAMOIAS IMPLANTADAS EM SEU CÉREBRO E EM SUA ALMA!

SEJA MAIS UM CONIVENTE COM A BANDIDAGEM QUE VEM ENTREGANDO O PAÍS, COLOCADO O POVO NA SURUBA, PORÉM PARTICIPANDO APENAS COM A BUNDA.

OU MANTENHA-SE DESINFORMADO, IDIOTIZADO E MANIPULADO.
OU MANTENHA-SE IDIOTIZADO E FUDI*O.

“Nesta terça, 7 de março, por volta das 14h, os advogados André de Paula, membro da Anistia Internacional, e Emanuel Cancella dirigiram-se às instalações militares dos Fuzileiros Navais, no Rio de Janeiro, com a intenção de visitar o Almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva. Segue o relato da visita frustrada:

Fomos muito bem recebidos por todos os recrutas e oficiais, mas depois de nos identificarem…

Ver o post original 773 mais palavras

“João e o beduíno” – o conto de fadas macabro da Folha de São Paulo

Oficina de Concertos Gerais e Poesia

Era uma vez um menino chamado João. Um dia, dois beduínos pegaram João pelos braços e o levaram para a “terra do nunca”, onde vivem os meninos pedidos.

Habib´s

João era da Brasilândia e tinha 13 anos. E assim será pela eternidade, por mil e uma noites.

João tinha os dentes quebrados e não tinha escola. Ou tinha, mas ela não o atraia. A rua atraia.

João tinha pai e mãe separados. Uma irmã de 17 anos grávida e uma mãe grávida também.

Quando tinha fome, João pedia comida. Mas não pedia para o pai catador de sucata. Já aprendera que pedir o impossível não é para quem é pobre.

João pedia comida para quem tinha pão, mas não tinha fome… de justiça. Seu erro fatal.

Um dia, dois beduínos pegaram João pelos braços e o levaram para a “terra do nunca” onde vivem os meninos pedidos.

A Brasilândia não deixa…

Ver o post original 248 mais palavras

Como melhorar uma história usando assassinatos

O Homem Despedaçado

Uma interessante – e divertida – moda está crescendo no mundo literário anglo-saxão. Muito melhor do que autoficção e representatividade, questões amplamente não-literárias que transformaram a literatura brasileira em um longo e enfadonho desfile de platitudes, egos e estatísticas.

Ela começou com uma reflexão sobre as regras de escrita de Elmore Leonard. São regras bem práticas, bem diretas e dizem respeito ao ato de escrever qualquer história. Por exemplo, a primeira regra é “Nunca comece um livro descrevendo o tempo”. A segunda é “Evite prólogos”, e por aí as regras seguem.

O escritor Marc Laidlaw levou adiante as ideias de Elmore Leonard e tirou a ênfase da primeira frase da história, passando para a segunda:

De acordo com ele…

Ver o post original 577 mais palavras

The agony and joy of the Great Scottish Outdoors

adcochrane

Awesome scenery and endless rain, joyful dolphins and ruthless midges, whisky and crisps for dinner – a light-hearted look at the despair, joy, agony and peace when you try to do anything in the Great Scottish Outdoors.

Ver o post original 1.336 mais palavras

Welcome to the future

BEN TROVATO – Durban Poison

Speech to Parliament by South African President Nomzana Naidoo-Green on the Occasion of National Men’s Month 2307

Madam Speaker

Honourable Madam Members

Madam Chair of the National Council of Provinces

Madams of the Media

Ladies and Madams

In celebrating Men’s Month for the first time, it is important that we take a moment to recognise the contribution men have made to our country. All too often, we remember only the horror and forget that the pioneers of modern medicine, mining, construction, law and sport were all men.

But while it is this government’s policy to give credit where it is due, I believe it is equally important that our children continue to learn about the Great Argument of 2050, the Great Silence of 2060 and the Great War of 2100.

Today, fewer men than ever before are serving in positions of power. Every political party is headed by a woman…

Ver o post original 879 mais palavras