A expressão Tchê!

Universo Nerd

Sotaques e regionalismos na hora de falar são conhecidos desde os tempos de Jesus. Todos na casa do sumo sacerdote reconheceram Pedro como discípulo de Jesus pelo seu jeito “Galileu” de se expressar.

No Brasil também existem muitos regionalismos. Quem já não ouviu um gaúcho dizer: “Barbaridade, Tchê”? Ou de modo mais abreviado “bah, Tchê”?
Essa expressão, própria dos irmãos do sul, tem um significado muito curioso.
Para conhecê-lo, é preciso falar um pouquinho do espanhol, dos quais os gaúchos herdaram seu “Tchê”.

Há muitos anos, antes da descoberta do Brasil, o latim marcava acentuada presença nas línguas européias como o francês, espanhol e o português. Além disso o fervor religioso era muito grande entre a população mais simples.

Por essa razão, a linguagem falada no dia, era dominada por expressões religiosas como: “vá com Deus”, “queira Deus que isso aconteça”, “juro pelo céu que estou falando a verdade” e…

Ver o post original 179 mais palavras

Maria Adélia Menegazzo: Da Tristeza tropical (Crônica)

liberdadeliberdade2

éder

28/03/2017

maria adélia2Maria Adélia Menegazzo* / Correio do Estado

De tudo o que vem acontecendo não dá para ter certeza de nada. O imponderável começa por levar a melhor. O que podemos contra o desencanto e o desemprego? O que nos recusamos do que já temos e do que nos andam retirando de crenças e direitos? O novo, que não se vislumbra, e o velho, que não se renova? Os trabalhos e os dias estão incertos e a esperança, esta será, ainda, a última que morre?

Converso com pessoas que têm as mais diversas formações e trabalhos e, nos últimos dias, parece que a coisa virou. Ninguém para dizer que tudo vai bem no melhor dos mundos possíveis. Impossível cultivar, panglossianamente, um jardinzinho que seja.

Nem a versão mais comum de Poliana tem tido vez. Policarpo Quaresma, então, desistiu de manter seu sítio e tocar modinha no violão, há muito tempo…

Ver o post original 308 mais palavras

LULA RECEBE JOVENS SINDICALISTAS DA ALEMÃES EM SÃO PAULO

Uma delegação de jovens lideranças da IG Metall, central sindical alemã, visitou o Instituto Lula em São Paulo na tarde desta terça-feira (27). Eles foram recebidos pelo presidente do Instituto, Paulo Okamotto, e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Numa conversa que durou cerca de duas horas falou-se sobre a solidariedade histórica dos metalúrgicos alemães com o movimento sindical brasileiro, o golpe parlamentar-midiático no Brasil,  o fortalecimento do Partido Social Democrata (SPD) alemão, relações internacionais e sobre o ataque aos direitos dos trabalhadores que têm ocorrido no Brasil.

Instituto
Após o término de seu segundo mandato, Lula elegeu como eixos principais de trabalho no Instituto Lula o fortalecimento das relações do Brasil com a América Latina e o intercâmbio de tecnologias sociais com a África. Esses dois temas vieram à tona em perguntas dos alemães que queriam saber como o Brasil poderia encontrar uma alternativa para o crescimento sem…

Ver o post original 398 mais palavras