Convite à Gratidão

MENSAGENS ESPÍRITAS

26 – CONVITE À GRATIDÃO

“Bendizei aos que vos maldizem, orai pelos que vos insultam.”

(Lucas: capítulo 6º, versículo 28.)

Por temperamento te retrais em muitas circunstâncias, quando deverias e poderias exteriorizar os sentimentos que portas.

Supões que todos marcham guindados à alegria, tão jubilosos se manifestam, que evitas traduzir os tesouros da boa palavra e da gentileza que se vão enferrujando por desuso nos cofres do teu coração.

Recebes dádivas, fruis oportunidades, recolhes bênçãos, acumulas favores, arrolas benefícios e somente uma formal expressão já desgastada de reconhecimento te escapa dos lábios.

Justificas-te no pressuposto de que retribuíste com a necessária remuneração, nada mais podendo ou devendo fazer.

Não há, porém, moeda que recompense uma noite de assistência carinhosa à cabeceira do leito de um enfermo.

É sempre pálido o pagamento material, passado o sacrifício de quem se nos dedicou em forças e carinho.

Mas o gesto de ternura, a…

Ver o post original 178 mais palavras

Semana santa: entre torturadoras/es e crucificadas/os

rsurgente

“Povos crucificados” é a linguagem útil e necessária no nível fatual-real, porque “cruz” significa morte, e morte é aquilo a que estão submetidos de mil maneiras os povos latino-americanos.

Jacques Távora Alfonsin

   Feriadão, período para quem tem dinheiro se desligar de problemas, viajar, aproveitar um prolongado lazer, descansar. Para grande parte das pessoas, a isso reduz-se a celebração da semana santa e da páscoa. Como acontece também com o panetone natalino, a lembrança remota do assassinato de Jesus Cristo e de tudo quanto sofreu e por quanto foi morto,   fica obstruída pela tradicional compra e venda de peixe, de colomba pascal, de bombons, coelhos e ovos de chocolate.

   Entretanto, a manobra publicitária e diversionista de ocupar-se a imaginação de todo o mundo com esses truques, é vencida ainda agora por muita gente que ainda crê e reza durante esta semana, com todo o pensamento e vontade voltados para…

Ver o post original 1.023 mais palavras

I Am Not Your Negro: James Baldwin’s words remain as urgent and relevant as they were when written

That's How The Light Gets In

I Am Not Your Negro is not a film about James Baldwin: more like a séance presided over by director Raoul Peck in which he summons up from beyond the grave Baldwin’s voice ventriloquised by Samuel L. Jackson in a narration drawn entirely from Baldwin’s work. It is not one of those conventional documentaries cluttered with the thoughts of  friends, relatives or experts, but a work of literary archaeology that pieces together a book which Baldwin planned but never wrote, using his notes, plus words – and only his words – from letters, essays and books written in the mid-1970s. It is, perhaps, the best documentary I have ever seen.

Ver o post original 4.043 mais palavras

Por ti

AGORA BABOU

Que não seja contigo

Mas é sempre por ti

É sempre em ti

És tudo

Absolutamente nada mais –

Posto que não há nada mais –

Cabe em mim

Tu me transbordas

És enchente

És vida

És o presente

És o ausente

És o nascer

És o poente

És tudo

Estás

Invariavelmente

Inexoravelmente

Nos milissegundos do sempre

Aqui.

b89a7917ce83386523bfa6f2fb58bbe0

Ver o post original

Norfolk Easter

The World according to Dina

It’s not quite like Easter, is it? But that’s Norfolk, how we know it and love it. After allthat sunny weather the Easter holidays started with cold showers. Please don’t tell anyone, we like it! The rain gives us a welcome break from working long hours in our garden. Now we can enjoy lazy hours in front of the roaring fire reading our books, stretching our legs and practicing yoga. Dina is well into the third book of Elena Ferrante’s Neapolitan Novels, Klausbernd is enjoying the wonderful Norfolk novel “Salt” by Jeremy Page and Siri and Selma are absolutely absorbed in the Norwegian Maja Lunde’s award winning “The History of Bees“. When we visited Felbrigg Hall’s walled gardens yesterday, we looked at the beehives with different eyes. And do you recognise Nigel again on Dina’s photo? He is well equipped, rafty weather (as they say…

Ver o post original 204 mais palavras

escreversonhar

Não pensava que seria possível encontrar alguém que pudesse ser a minha metade da laranja. Até te conhecer a ti. Até ter visto que em ti havia tanto de mim. Esta é a nossa história. A história de duas almas que reencontraram a sua metade, há muito tempo perdida. Lembro-me de termos apenas um manto […]

via Almas — certos os meus erros

Ver o post original