ME APAIXONEI PELO QUE INVENTEI DE VOCÊ.

POETA DE MESA

Talvez tenha sido por causa de todas aquelas promessas que fizemos na praia, todos aqueles planos que na hora pareciam tão reais quanto o seu interesse. Você sempre soube criar momentos memoráveis, né? Ou talvez tenha sido o dia que você me apresentou como seu namorado naquela festa de família – nós nem tínhamos nada sério ainda, e eu tava tão concentrado nos docinhos que estavam perto do bolo que mal senti meu rosto corar de vergonha enquanto você ria da minha vontade de cavar um buraco no chão.

Eu escrevi textos pra você, sabe? Meu blog mais parecia uma dedicatória, e pela primeira vez a letra de “Monomania”, da Clarice, fez todo sentido na minha cabeça. Hoje em dia, depois de tudo, “o que eu bebi” virou a música que toca como trilha sonora das minhas lembranças por você.

“O que eu bebi por você nunca artista bebeu. Nem…

Ver o post original 238 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s