A natureza não o sabe, mas é inteligente

Templo acadêmico

R0nfjdmb Friedrich Schelling (1775–1854, filósofo alemão)

Que distinção se pode fazer entre matéria e espírito?
A natureza, mesmo nos seus aspectos mais amorfos e materiais, é sempre inteligência inconsciente de si mesma. De fato, o que, senão um princípio espiritual, imaterial e inteligente, pode tornar possível a regularidade e a perfeição dos fenômenos naturais? Basta observar uma simples gota e perguntar-se que força intrínseca à matéria leva a água a assumir uma perfeita forma circular. Ou, então, basta analisar, segundo parâmetros de atração e repulsão recíproca, os fenômenos da química, do magnetismo e da eletricidade, as grandes novidades científicas do início do século XIX, que Schelling interpreta à luz de um pensamento sob muitos aspectos afim ao pensamento mágico. Efetivamente, a natureza também, enquanto Espírito visível, tem as suas simpatias, exatamente como o espírito humano, e pode verdadeiramente dizer-se uma Natureza invisível.
O texto que se segue foi extraído…

Ver o post original 143 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s