Canções para tempos pouco luminosos

Máquina de Escrever

Fundador dos Depeche Mode, Vince Clarke saiu da banda pouco depois de o grupo ter lançado o seu álbum de estreia, no verão de 1981, deambulando nos anos seguintes entre experiências relativamente curtas, umas mais longas (como os Yazoo, que viveram por dois anos e nos deixaram dois álbuns de estúdio), outras mais fugazes (como os Assembly ou numa parceria com Paul Quinn, cada qual limitada a apenas um single). E assim foi até que, em 1985, encontrou em Andy Bell a voz com a qual foi construindo uma obra que vai já em mais de 30 anos, somando 17 álbuns de estúdio e inúmeros registos ao vivo. Pontualmente voltou a experimentar colaborações (e uma delas uniu-o inclusivamente com Martin Gore, velho parceiro dos tempos passados nos Depeche Mode). E tem sido (e pelos vistos continuará a ser) junto de Andy Bell, ou seja, nos Erasure, que Vince Clarke tem…

Ver o post original 388 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s