Quem me libertará? A verdade ou o Supremo Tribunal Federal? | Brasil 24/7

Nunca, em meus 50 anos de bacharel em direito, vi tão partidária e traidora corte jurídica no Brasil. É o adeus ao judiciário; que já se desnudava ao fazer de um julgamento um espetáculo e ao condenar “pela literatura” na ausência de provas nos processos

Fonte: Quem me libertará? A verdade ou o Supremo Tribunal Federal? | Brasil 24/7

AÉCIO NÃO FOI COMIDO… Por Leonardo Sakamoto // “A Justiça é como as serpentes: só morde os descalços.” (Eduardo Galeano) — A CASA DE VIDRO.COM

Brasil, Junho de 2017 “Aécio não foi comido, só mastigado. Justiça gosta mais de carne de segunda” – Por Leonardo Sakamoto “Aécio não foi comido. Mastigaram-no bem, é verdade, mas o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, não deixou que o engolissem, mandando o sistema cuspir para fora. Qual o motivo? Carne de segunda […]

via AÉCIO NÃO FOI COMIDO… Por Leonardo Sakamoto // “A Justiça é como as serpentes: só morde os descalços.” (Eduardo Galeano) — A CASA DE VIDRO.COM

PERCEBEMOS A EDUCAÇÃO DE UMA PESSOA PELA MANEIRA COMO ELA DISCORDA DE NÓS — A Palavra

PERCEBEMOS A EDUCAÇÃO DE UMA PESSOA PELA MANEIRA COMO ELA DISCORDA DE NÓS (obvious) por Marcel Camargo Existem muitos tiranos por aí, prontos a ditar regras aos outros, impondo suas ideias e não aceitando serem contraditos, em hipótese alguma. Não sabem ouvir não, não suportam ser contrariados – os adultos mimados vida afora. A maneira como […]

via PERCEBEMOS A EDUCAÇÃO DE UMA PESSOA PELA MANEIRA COMO ELA DISCORDA DE NÓS — A Palavra

Ausência — Pseudo Aleatoriedade

Foi um longo período de ausência por aqui. Em partes, pois estava com preguiça de escrever, ou não tinha ideias, ou quando tinha, achava que que precisava de fotos para acompanhar o assunto e aí a preguiça era de tirar as fotos. Também estou dividindo meu tempo com artigos quinzenais no portal Sala de Aula […]

via Ausência — Pseudo Aleatoriedade

Onore a questa Italia che esiste, che resiste, che ci fa sperare

Leo Rugens

falcone

Onore a questa Italia che esiste, che resiste, che ci fa sperare. Non a caso questo episodio, commovente fino alle lacrime (ma questo perché noi anziani ci commuoviamo facilmente), è accaduto poche ore addietro in Sicilia.

Oreste Grani/Leo Rugens

Compare in rete e giunge fino a me, opportunamente segnalatomi questo fiero racconto.

“È martedì 27 giugno e siamo in Sicilia, sull’autostrada A29 che collega Mazara del Vallo a Palermo, nel beve tratto tra le cittadine di Carini e Capaci.

Alle ore 18:30 si verifica un grave incidente, nel quale purtroppo perde la vita una giovane donna. Il traffico si paralizza, inspiegabilmente. 

Nessun veicolo riesce più a muoversi.

L’autostrada si trasforma in un lungo serpente di metallo rovente ed inizia un terribile calvario per centinaia di persone che, loro malgrado, rimangono intrappolate in un vero e proprio inferno. Con una temperatura di quasi 40° e nessuna via di fuga, i malcapitati…

Ver o post original 943 mais palavras

Pop Culture and Consumerism by Tony Futura

AesthesiaMag

Tony-Futura-Instagram-25Tony-Futura-Instagram-9Tony-Futura-Instagram-18tony-futura-digital-art-6tony-futura-digital-art-7Tony-Futura-Instagram-12surreal-pop-culture-illustrations-12jpgTony-Futura-Instagram-6tony-futura-digital-art-1Tony-Futura-Instagram-16Tony-Futura-Instagram-26Tony-Futura-Instagram-22Tony-Futura-Instagram-1Tony-Futura-Instagram-8surreal-pop-culture-illustrations-4jpgsurreal-pop-culture-illustrations-27jpgsurreal-pop-culture-illustrations-7jpgtony-futura-digital-art-3Tony_Futura_X_Plastik_nothing_is_impossible_INSTATony_Futura_X_Plastik_kiss_INSTATony-Futura-Instagram-17Tony-Futura-Instagram-10Tony-Futura-Instagram-15tony-futura-digital-art-5
“Every child is an artist. The problem is staying an artist when you grow up.”

  • P. Picasso –

Pop Culture and Consumerism by Tony Futura

Berlin-based digital artist Tony Futura creates surreal artworks that mock and poke fun at modern western culture, basing his artworks on pop culture and materialist objects. Despite taking on some of the deepest and most troubling issues of the modern world Futura somehow manages to make light of them all with his funny and witty approach.

Tony Futura on his Instagram account or on his Tumblr.

Ver o post original

Dom Pedro Casaldáliga conversa com Deus sobre como Temer foi parar lá

QTMD? Quem tem medo da democracia?

BRASÍLIA: A SODOMA E GOMORRA DE PINDORAMA

Por José Ribamar Bessa, em seu site

No mesmo dia em que o Supremo Tribunal Federal (STF) soltou o deputado Rocha Loures (PMDB, vixe vixe) e negou o pedido de prisão do senador Aécio Neves (PSDB vixe vixe), o Criador do Universo, escoltado por um querubim e um serafim, apareceu a Dom Pedro Casaldáliga, de 89 anos. O bispo emérito de São Félix do Araguaia descansava às margens do rio Xingu, na área alagada da Cachoeira do Limão, debaixo da última árvore que sobreviveu ao desmatamento da Hidrelétrica de Belo Monte. Levantou os olhos e prostrou-se descalço sobre a terra vermelha diante da face divina:

– Vou buscar um pouco de água para lavar vossos pés – disse o bispo, debilitado pelo mal de Parkinson. Deslocou-se em sua cadeira de rodas e pediu ao padre agostiniano José de Jesus Saraiva, que é seu…

Ver o post original 1.001 mais palavras

TEMPOS INCENDIADOS (Por Selvino Heck)

Luíz Müller Blog

BarricadaO prefeito Ary Vanazzi, de São Leopoldo, Rio Grande do Sul, fez um discurso duro, emocionado e emocionante sábado passado, quando passou o cargo de presidente do Partido dos Trabalhadores/RS ao deputado federal Pepe Vargas.

Discurso duro, porque atacou as políticas públicas do governo golpista do presidente Michel Temer (ou a falta de): as então existentes estão sendo destruídas.

Emocionado, porque falou das impossibilidades de, como prefeito municipal, fazer políticas sociais, programas de habitação, resolver os crescentes problemas que a população sofre, desemprego e tudo mais, com o fim das políticas e programas dos governos Lula e Dilma.

Emocionante, porque Ary contou que há mil mulheres em São Leopoldo com problemas de câncer de mama e outras doenças graves, mulheres que não conseguem ter atendimento em lugar nenhum. Os hospitais estão lotados, e quando não estão, não têm recursos e estão sem condições de atendimento de qualidade.

Chorei, como muitos…

Ver o post original 652 mais palavras