Ofuscada por Rodin e pelo machismo, finalmente Camille Claudel ganha seu próprio museu

VIVIMETALIUN

Uma das maiores escultoras de todos os tempos enfim ganhou seu próprio museu. Acaba de abrir as portas, na cidade de Nogent-sur-Seine, a uma hora de Paris, o Museu Camille Claudel, dedicado a obra de uma escultura que morreu abandonada em um asilo, e que sua obra teve de esperar décadas para ser finalmente reconhecida como um dos maiores nomes da escultura em todos os tempos.

CClaudel2

CClaudel14

O acervo do museu compreende desde a primeira obra que Camille expôs, em 1882, até suas ultimas esculturas em bronze, de 1905, período no qual seus primeiros sinais de perturbações mentais começaram a surgir, acompanhando-a até o fim da sua vida, aos 78 anos em 1943.

CClaudel9

CClaudel8

CClaudel6

O acervo trás também 150 obras de outros artistas de sua época, a fim de destacar o talento original e extraordinário de Camille, assim como a forma com os contemporâneos se influenciaram então.

CClaudel12

CClaudel11

CClaudel7

Lamentavelmente é impossível escrever…

Ver o post original 196 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s