Pensar fora da caixa

Caminhante Aprendiz

Eu sou uma dessas pessoas que são assediadas constantemente pela tentação de fazer da vida um ambiente de decisões “automáticas e impensadas”. Todos os dias, o tempo se renova, estou envelhecendo e a minha agenda me lembra de compromissos que firmei, de obrigações que preciso cumprir, de promessas que preciso concretizar, visto que afinal de contas, tenho que me sustentar, a fome não tem muita paciência, preciso me colocar em certas posições que visam me manter vivo nesse mundo, e isso é absolutamente normal.

No entanto, entendendo que o “pensar” é uma das artes que nós seres humanos temos o privilégio de possuir, percebo que muitas vezes abrimos mão desse privilégio por causa das necessidades. Passamos a fazer o que é necessário apenas por instinto de sobrevivência, nos atolamos de trabalho e de exigências que impomos a nós mesmos na tentativa de sermos felizes, buscando sermos mais adequados à sociedade…

Ver o post original 168 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s