O fogo

Várias Contradições

Levarei o fogo onde eu estiver.

Segundo informa a lenda,

foi do atrito ansioso que nasceu o fogo.

 

Em sua formação,

a força é o movimento que lhe dá

sentido, razão e existência.

Sua relação com o ar

determina suas cores,

do violeta ao amarelo.

 

Há algo de evidência

na produção do fogo pelos seres humanos,

que obrigam seus elementos

a uma interação raivosa…

 

Depois de aceso, ele ilumina,

brilha aos nossos olhos, aquece

o ambiente e habita o suporte

com o qual se encontra com intimidade…

 

Tão forte e tão belo,

o fogo é também tão dependente.

Que é a liberdade senão um anseio

por movimento? Mas o fogo não pode

ir a todos os lugares.

Não é respeito que o

impede de ir-se,

mas seus companheiros invisíveis,

que o desacompanhando, torna-o

inexistente.

 

Da mesma forma, acredito,

nos ligamos aos demais:

por movimentos invisíveis,

Ver o post original 40 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s