Pesquisa mostra que família e amigos são quem mais violenta a mulher

Educação Política

Companheiros e ex-companheiros, familiares, amigos, conhecidos ou vizinhos foram os responsáveis por 68% dos casos de violência física, 65% da violência psicológica e 38% da violência sexual sofrid…

Fonte: Pesquisa mostra que família e amigos são quem mais violenta a mulher

Ver o post original

E já é ruína

Contradições

Caetano-Veloso-and-Gilber-006.jpg

No exílio de Londres, Caetano Veloso gravou um disco surpreendente, lançado em 1971, e criou uma música pedindo à irmã para mandar uma carta e dizer se as “coisas” estavam melhorando.

Ironia com o período mais duro da ditadura militar, quando se desenhou a trajetória para onde o país iria nas décadas seguintes. O mundo de hoje foi forjado naquela época, o começo de década de 70.

O sentimento melancólico de estar longe daqui, Caetano descreveu em suas memórias “Verdade tropical” (1997), que é o romance da geração dele e do que veio a ser o Brasil atual.

Brinco com um amigo que Caetano, Glauber Rocha e João Ubaldo Ribeiro foram os três filhos baianos de Oswald de Andrade. Inquietos, inquietantes e ambivalentes – sendo Glauber o mais profundo deles.

Na música “Maria Bethânia”, de 1971, ele cantou que “todo mundo sabe que nossas cidades foram construídas para ser destruídas”…

Ver o post original 206 mais palavras

Que língua falam os santos?

Tendências do imaginário

Peneda Escadório Santuário da Senhora da Peneda. Escadório e templo.

Ontem, 6 de Agosto, fiz uma comunicação sobre a fronteira no âmbito do evento Filmes do Homem, organizado pela câmara municipal de Melgaço e pela Associação Ao Norte. No magnífico auditório da Porta de Lamas de Mouro, uma centena e muitas pessoas, a maioria estrangeiras e profissionais do audiovisual.

Como se compreendia que a romaria da Senhora da Peneda, sendo em território português, tenha, desde tempos imemoriais, tantos peregrinos galegos? Esta adquire ainda mais oportunidade quanto no catálogo dos Filmes do Homem escrevo um artigo sobre a festa.

A geografia do sagrado pode não coincidir com a geografia política. São duas arquitecturas distintas de construir o mundo. É certo que quem desenha fronteiras políticas pretende outorgar-lhes uma aura sagrada:

Regere fines, o acto que consiste a “traçar por linhas direitas as fronteiras”, a separar o “interior e o exterior, o…

Ver o post original 402 mais palavras