E já é ruína

Contradições

Caetano-Veloso-and-Gilber-006.jpg

No exílio de Londres, Caetano Veloso gravou um disco surpreendente, lançado em 1971, e criou uma música pedindo à irmã para mandar uma carta e dizer se as “coisas” estavam melhorando.

Ironia com o período mais duro da ditadura militar, quando se desenhou a trajetória para onde o país iria nas décadas seguintes. O mundo de hoje foi forjado naquela época, o começo de década de 70.

O sentimento melancólico de estar longe daqui, Caetano descreveu em suas memórias “Verdade tropical” (1997), que é o romance da geração dele e do que veio a ser o Brasil atual.

Brinco com um amigo que Caetano, Glauber Rocha e João Ubaldo Ribeiro foram os três filhos baianos de Oswald de Andrade. Inquietos, inquietantes e ambivalentes – sendo Glauber o mais profundo deles.

Na música “Maria Bethânia”, de 1971, ele cantou que “todo mundo sabe que nossas cidades foram construídas para ser destruídas”…

Ver o post original 206 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s