Compondo Pássaros & Silêncios...

DarkAngelØne Dark Angel

Se me esfolassem agora
encontrariam o teu nome
colado num dos meus ossos.

[Manuel Cintra]

Cravaste, em mim, asas…
Eu, dei-te raízes extensas.
Depois, nos misturamos tanto
que as minhas asas eram tuas raízes
e, teu chão, meu infinito profundo.

(Não sabíamos mais
o que era céu e corpo,
horizonte e precipício…)

Já não sabia onde eu começava
nem onde terminavas tu:
por certo, éramos o amor
personificado no verbo adorar.

Bebíamos da chuva num beijo
e nos lavávamos no mar do desejo
despidos de toda maldade do mundo:
sonhamos em vida e vivemos.

Para sempre entardecíamos
até dar a hora de partir,
mesmo sabendo que éramos
o lugar um do outro, noite e dia.

Contigo humanizei meus gestos
e, em ti, fecundei delírios.
Pari sorrisos que eu jamais
daria à alguém na vida.

E é isso… Céu, luz, asas, sorrisos,
terra, amor, chão, precipício,
trovões, flores, raízes…

Ver o post original 16 mais palavras

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s