Overcoming With The Love We Daily Conceal

NESSA SHERON

When the world darts its iced stones
we quickly form walls with them of only partial victory
when we can only overcome with the love
we may daily conceal

-An older piece reflecting some of my most recent thoughts.

Love only has the power to overcome, so let us not conceal the love our world needs with following and fear…♥

Photo by Ales Krivec on Unsplash

©Nessa Sheron 2017 All Rights Reserved

Ver o post original

Você sabia que a escravidão existe?

Reiki Quântico

Não me refiro a crianças e adultos explorados, forçados a trabalhos pesados e serviços que nem quero mencionar. Crueldade com requintes de sadismo ainda existe em vários lugares, infelizmente.

Me refiro a mim, a você e a todos que somos escravos de algozes invisíveis que nem sabemos nominar. O que são esses espectros que nos dominam sem palavras, que nos prendem sem correntes, invadem os nossos pensamentos e, sobretudo, tem poder sobre nós?

Nós somos escravos das nossas crenças.

Crença é sinônimo de fé, certeza, convicção. Uma crença pode ter fundamento científico ou não. De qualquer forma, quando uma crença está instalada no nosso sistema é difícil ser mudada. Por muito tempo, acreditou-se que a Terra era plana e também o centro do universo. Quem fosse contrário a isso era considerado herege e condenado à morte. A ciência evoluiu, conseguiu comprovar novas teorias, mas duro mesmo foi mudar as crenças…

Ver o post original 954 mais palavras

O estrangeiro

Mira certeira, faca sem ponta - PALAVRAS

índice

Primeiramente, pobre, muito pobre. Muito ralo o caldo, sem sustância. Mas, não poderia abandonar e esculhambar sem experimentar. Mergulhei no caldo ralo, e, aos poucos, a panela levantou a fervura, mas, não engrossou o caldo.

Para que me entenda melhor, quando o enredo o trouxe à berlinda eu queria que escapasse de cumprir anos de prisão por assassinato. Não poderia acreditar que uma criatura tão inerte seria verdadeiramente culpada por encerrar a vida de outra criatura. Quanto mais se desenrolava a história mais eu via o quanto sua vida era feita de vísceras com ênfase nos intestinos.

No trajeto, conhecendo-o aos poucos, passei pela fase de por ele sentir um leve afeto, uma quase compaixão, principalmente quando deu sinais de ateísmo latente, talvez porque me enganei acreditando que a falta de atitudes eram na verdade uma opinião pessoal da criatura no sentido de que não deve satisfação aos outros.

Mas…

Ver o post original 220 mais palavras

Irmãos de Sofrimento

De Saco Cheio e Mau Humor

– Norman ficou puto por que os avós trouxeram a lasanha errada pra ele.

– Como assim?

– Eles foram viajar, perguntaram se ele queria que comprassem alguma coisa, ele pediu especificamente um sabor e trouxeram vários, menos o que ele tinha pedido. Disse que teve vontade de jogar tudo na parede.

– Pff. Queria ver se ele morasse na rua se ia ficar puto com algo tão idiota assim.

– Bom se vocês passassem mais tempo nas clínicas ao invés de nas ruas, talvez não pensasse dessa forma.

– “Vocês”?

– Psicólogos sociais.

– Você espera que eu sinta pena dele por causa de uma lasanha?

– Qual é, você acabou de sair da faculdade. Você acha mesmo que a lasanha é a causa principal? Ou que talvez fosse só a superfície de um sofrimento maior por trás? Você conhece Norman? Conhece a família dele? Talvez esteja faltando um…

Ver o post original 818 mais palavras

Women’s Battalion of Death – Smart History Blog

First Night History

Maria Bochkareva by Boris Losin, 22 November 1917

We know a number of female soldiers from Russian history. Many of them, aviators and snipers, were praised as war heroes during the Great Patriotic War. Speaking of personal bravery on a battlefield, there is no-one quite like Maria Bochkareva – “the Jeanne d’Arc of Russia”, during…

Source: Women’s Battalion of Death – Smart History Blog

Ver o post original