Briga entre Noel e Wilson Baptista rendeu 9 clássicos da música nacional — Almanaque Brasil

No início dos anos 1930, Noel Rosa ouviu um samba chamado Lenço no Pescoço, gravado por Silvio Caldas. A canção era uma lavada exaltação à malandragem, com versos como Eu passo gingando / Provoco e desafio / Eu tenho orgulho de ser tão vadio. Apesar de várias de suas composições se mostrarem simpáticas aos malandros, […]

via Briga entre Noel e Wilson Baptista rendeu 9 clássicos da música nacional — Almanaque Brasil

Não é de hoje — Giovanni Alecrim

Artigo escrito para a edição de 25 de novembro de 2017 do Jornal Info o Povo do Estado do Rio de Janeiro. Na última terça-feira, 21 de novembro, o Banco Mundial publicou um relatório onde aponta proposta de ajustes fiscais no país. Em resumo, o relatório diz o que todos nós já desconfiámos: as políticas […]

via Não é de hoje — Giovanni Alecrim

晩秋の若狭神宮寺2017 — wakasa15thfd

昨年、滅茶綺麗な紅葉を見せてくれた若狭神宮寺に立ち寄りました。同寺の一番綺麗な真っ赤なモミジはこれから落葉が始まるようですが樹上を見ると葉が縮れて茶色がが多いんです(^^)/ 天候の影響かも知れません?残念でした(^^)/ 紅葉見物の客が次から次へとやって来てましたが、話しは昨年のことばかり。 私もそうですが昨年の残像が強すぎます。 本堂の裏に生える何本もの椎の巨木です。根が空洞になっても生きる生命力には驚かされます(@_@) 受付の可愛いミニ盆栽です(^_-)-☆

via 晩秋の若狭神宮寺2017 — wakasa15thfd

É de ter vergonha do Ministério Público

“Triste fim do ministério público a que pertenci em atividade com tanta honra. Vulgarizou-se. Amesquinhou-se. Tornou-se um trambolho, um estorvo para as forças democráticas deste país”, critica o ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão ao avaliar o lançamento do manifesto dos procuradores da Lava Jato; “Gordo e autossuficiente, deleita-se no seu bem-estar, sem preocupação com milhares de brasileiras e de brasileiros impactados pela baderna política e econômica que causaram. Será que os promotorezinhos e os procuradorezinhos pensam que essa população se alimenta de blá-blá-blá moralista? Acabaram os empregos, acabaram-se os direitos — “MAS temos o combate à corrupção!” É esse discurso que vai encher a barriga dos que foram esmagados pelo golpe do “mercado” e de seus interesseiros lacaios?”, questiona

Fonte: É de ter vergonha do Ministério Público