Em Lisboa — diluente

O sol ainda não entra pelas grandes janelas da sala. Passa paralelo aos vidros com a promessa de um dia maravilhoso. Mas dia após dia a promessa dispersa-se como as gotículas de água de uma fonte ao sol. No edifício da frente, no telhado, as pombas caminham marcando o ritmo rápido dos seus passos com o […]

via Em Lisboa — diluente

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.